15.4.09

PRAZER IMPOSSÍVEL

Há o prazer instantâneo. Um orgasmo intenso que nos enche de bem-estar. Um copo de vinho profundo e encorpado. Uma conversa transcendente. Um filme inesperado. Uma música galvanizadora. Um filho que nasce perfeito. Uma mulher que se conquista. Mas há o prazer duradouro, contínuo. Um prazer existencial. Um prazer que não se esgota num momento. Um prazer duradouro. Um prazer eterno. Ser a vida um prazer e o prazer ser a vida! É deste prazer que vou falar. Ter sempre prazer parece uma impossibilidade. Um contra-senso, mesmo. Desfrutar um prazer implica que algo se sobrepõe momentaneamente ao nosso monótono e, às vezes, penoso dia a dia. Se tudo fosse prazer o que haveria para além do prazer? Que fronteiras desconhecidas se abririam no horizonte humano? A Terra não seria este “vale de lágrimas”. As religiões não teriam pasto para se reproduzirem. A própria política teria dificuldade em obter votos. Se o Paraíso fosse a Terra, não havia “pecado original”. Então o que se passa? Todos queremos prazer e apenas temos doses homeopáticas, parcimoniosamente administradas! Muitos dirão: a morte impede o prazer absoluto. Sabemos estar condenados. Outros retorquirão: precisamente por morrermos, mais tendência temos para glorificar o prazer e dele usufruir. Afinal ele é tão efémero! Para mim, é simples. Prazer é conseguir fazer precisamente o contrário daquilo que a minha natureza me induz. Chamar-lhe-ão um prazer altruísta. Outros dirão estar próximo de uma filosofia de negação, de tipo oriental. Nada disso. É uma coisa bem mais simples ainda. Eu apenas queria ter sido bom filho, bom pai. Bom marido, bom namorado, bom amante. Apenas gostava de nunca ter prejudicado um colega. De ter sido justo com todas pessoas. De amar sinceramente. De ter sido caridoso. De não ser pedante. De procurar entender os outros, de os ouvir, em vez de me exibir. Como isso me daria prazer. Um prazer supremo. Agora, porém, já é tarde…
jp

68 comments:

Conceição Duarte said...

Nunca é tarde e nem é tempo de arrependimento e sim de crescimento. Os prazeres são inúmeros na nossa vida, e tudo nela são pequenos momentos. Tudo é efêmero mesmo. Faça o que seu coração mandar e sinta o prazer que melhor te aprouver.

Um grande beijo, CON

Luis Bento said...

A morte é o prazer absoluto... em ter conhecido esta vida..

Ana Paula Motta said...

Que coisa mais triste essa Luís, e ao mesmo tempo tão verdadeira...

Maria Augusta said...

Se você reconhece que poderia ter sido "melhor", é porque evoluiu e certamente isto é um motivo de prazer. Ninguém é perfeito, e se todos o fossem, que graça teria este mundo?

marie said...

Não adianta chorar sobre o leite derramado...
Embora voltar atrás seja impossível, há sempre possibilidade de não cometer os mesmos erros e ter prazer nessa mudança!
Beijinho
Marie

Al Kantara said...

Se para o prazer supremo já é tarde, o melhor é não desperdiçar os outros. Siga a marinha...

Maria de Fátima said...

:)

said...

Jorge ...será mesmo que ao colocar tudo em uma balança os pesos são tão desiguais? Reavalie...
A raspa do tacho sempre dá boa goiabada...

roserouge said...

Nunca é tarde para coisa nenhuma. Excelente texto.

Spark said...

Mto bom!! ;)

Abraço

Chica said...

Linda essa tua escolha par o prazer.Poder olhar em torno e ver que estamos melhores sempre, a cada dia...um abração,chica

Ana Patrícia said...

Ttemos de tentar encontrar o prazer nas pequenas coisas, para superar os desencontros com o prazer supremo.

Beijos

Mylla Galvão said...

Não acho que seja tarde para mudar suas atitudes. Chico Xavier mesmo disse que não podemos mudar o curso da vida, mas podemos fazer um novo final para ela. São as pequenas atitudes, as pequenas mudanças que fazemos em nossa vida, que nos dão um prazer imenso!!! Pense nisso!!!
Belo texto!!!
Muito poético!!!
Bjo grande

Olavo said...

Meu caro..nunca é tarde.
concordo com seu texto que é perfeito
Parabens
Abraços

Claire said...

Pois é! também nunca soube fazer um bolo para as minhas crias, caraças!
E ainda sou chavalinha

Susana said...

Luís: Muito profundo o texto! Temos a tendência para procurarmos ser melhores em tudo. Há que ter cuidado, pois corre-se o risco de ficarmos obcecados pelo perfeccionismo e esquecer que o mais importante é simplesmente viver, apreciando os bons e até os maus momentos da vida.Se não houvesse maus momentos, certamente não valorivamos tanto os bons momentos.

Parabéns! gostei do teu ponto de vida.
Susana

Compondo o olhar ... said...

o prazer está a todo momento em nós... precisamos aprender a escutar nosso coração.

adorei sua postagem... parabéns pela participação.

bjocas

Vanessa said...

Olá, tb estou na Tertúlia deste mês e vim conferir seu post.

Abraço

GUGA ALAYON said...

o prazer é mesmo um orgasmo. Sempre acaba. Essa é a graça ora pois.
abç

james emanuel said...

"Prazer é conseguir fazer precisamente o contrário daquilo que a minha natureza me induz".

Me soa familiar...

Belo texto.



Um abraço.

Butterfly said...

Nunca é tarde ... ;)

Bjinhos

Ariane Rodrigues said...

Uma participação bela aqui na Tertúlia.

Dulcineia (Lília) said...

Um prazer ler este texto...

Quase uma ode ao prazer "perfeccionista". Quem sabe, vindo de quem deseja a perfeição?
Diz a ciência, o nosso corpo não aguentar mais do que dois anos em prazer contínuo. Depois, depois, ér a "outra face" que torna o prazer mais prazeiroso.
Penso, que demos sempre o nosso melhor. Embora, olhando pra trás, não nos pareça. O certo é que à luz da sabedoria e do conhecimento que tínhamos então, demos o nosso melhor, em tudo!

Só pela reflexão, já o conseguiste. Ser "bom" seja em que patamar for. Só por isso, já és bom, percebes?
Eu sinto orgulho em te ter aqui. E, tenho a certeza de que quem te cerca, tb o tem.

Às vezes, o que parece negação, mais não é do que um grande salto qualitativo!
Um abraço

Nanda said...

Prazer instantâneo, prazer duradouro, prazer meio termo... Existir é o maior prazer, e, não pense que sou louca, me considero mais uma ET, há prazer até em experimentar o sofrimento! Sim, o sofrimento é apenas mais uma paisagem dessa viagem incrível à Terra, e é uma paisagem passageira, como todas por aqui são, por mais longo que algo seja uma dia acaba, é a regra dessa dimensão.
Então vamos nos deliciar com as opções oferecidas! Bjão!

Adelino said...

Ótima postagem participativa do Tertúlia. Existem prazeres para todos os gostos, um deles, o prazer do dever cumprido.
Um grande abraço.

Juliêta Barbosa said...

Jorge,

Não entendo por que fazes a negação do prazer supremo, se ele já está em pleno exercício, em tua vida.Não percebes que a consciência das tuas falhas já te habilita a ser uma pessoa especial e melhor? Quer prazer maior que este? Obrigada, pela passagem em meu blog.

FaBiaNa GuaRaNHo said...

Obrigada pela mensagem e o prazer é recíproco.
Abçs

angel said...

Existe muito prazer ainda para ser vivido. A vida oferece a cada segundo uma chance de sermos felizes, de sentirmos pequenos prazeres. Sua duração pode ser a mesma do orgasmo, mas será será sempre intensa e inesquecível.
Conhecer você e todos os amigos que escrevem para mim é um prazer. Muito prazer, Jorge! meu nome é Angela.

Conceição Duarte said...

muito obrigada por suas palavras e seu carinho! Vindo de vc tem um peso importantíssimo!

Foi um prazer ter vc por lá!
Um Beijo, Con

Papagaio Mudo said...

Falaaaa expresso!

eis o verdadeiro prazer! prazer! prazer mesmo! dionisíaco, bacante, bêbado, enebriado e embriago do perfume das ninfas que vem nós seduzir, nós deuses pã dessa mitilogia urbana, nós nessa massa humana.

abraços,

Gustavo

Gaspar de Jesus said...

Caro Jorge
Muito obrigado pela visita e comentário.
Acho este seu texto uma pequena maravilha!
A quantos de nós já se colocou esta questão ? "...eu apenas queria ter sido...".
1 Abraço
G.J.

Serena Flor said...

Nunca é tarde meu amigo...nunca é tarde!
Belíssima participação...parabéns!
Um grande beijo!

Fernanda said...

Pés...
Mãos...
olhos...
corpos...
gente...
que com prazer vive o melhor...
com arte!
Um beijo...
Lindo Blog!
Fernanda

Kay said...

Concordo com a Juliêta Barbosa...

Beijo grande

adelaide amorim said...

Ué, por que é tarde? Você está vivo, cheio de boas intenções e em paz com o mundo. O que ficou pra trás, já passou. É hora de aproveitar a vida e se deixar ser essa pessoa do bem, dessas que andam fazendo tanta falta no mundo. Viva você!

Abração.

Lengo D'Noronha said...

Dizer o que?

'Ad libitum'...só que você é o ouvinte e o maestro.

____________________________________________

Parabéns pela iniciativa.

Isabel Magalhães said...

Eu diria: - "Mais vale tarde do que mais tarde" mas se calhar não fica bem aqui! ;)


Bj

I.

Mírian Mondon said...
This comment has been removed by the author.
Iêda said...

Prazeres inúmeros, felicidades multiplicadas por cada um deles...
Adorei!
beijo

Eduardo Santos said...

Caro amigo. Excelente reflexão, afinal prazer é isso tudo, embora por vezes nos esqueçamos do prazer que é viver, será porventura o maior. Um abraço de amizade.

ellen said...
This comment has been removed by the author.
ellen said...

..."Eu apenas queria ter sido...........Agora, porém, já é tarde..." ...

Express, ser o homem perfeito não existe. Aonde ele estiver avise-me, pode ser? :))
Mas ser tarde, never... !!! o PRAZER de viver não pode ter fim!
Excelente texto. Gostei.

Um beijinho para si.

Nana Odara said...

Em algumas idéias meu post tbm bate com o seu... enfim...

Estou aproveitando a tertulia pra divulgar meu manifesto...
Beijinhos de baunilha...

Manifesto Nana Odara

A Via do Prazer

Declaro
solenemente
à partir de agora
que todos os seres humanos
devem viver unicamente
pelo e para o prazer...
Esse é o meu manifesto
talvez a minha grande contribuição
para a humanidade...
a via do prazer...
Todas as mulheres
tem o direito e a obrigação
de viver em prazer...
até pq a repressão do prazer da mulher
é um dos pilares do patriarcado.
Somente através do seu prazer livre
e irrestrito a mulher pode
ajudar a construir um
novo modelo social
melhor
mais interessante...
Para isso é necessário
cessar já
todas as formas de violência
consentidas ou não
silenciosas ou não
punivéis por lei ou não
todas as formas de violência
contra a mulher
contra todas as mulheres...
O prazer
subjetivo por natureza,
o prazer de cada um,
o prazer de todos...
A um só tempo,
emitido e recebido
sorvido
degustado deliciosamente devorado
doravante
por nós, integrantes desse manifesto,
canibais do prazer,
ou seja la qual for a alcunha
que nos agraciará o futuro...
O Prazer como antídoto social à violência
Todo o prazer
pelo fim de
toda a violência...
Segundo a Dianética,
o Prazer é a força motriz que anula o medo.
Portanto somente através do prazer
podemos anular os efeitos todos
da maior arma patriarcal
fundamentado e sacramentado em medos,
a violência.
E nós, seres humanos,
estamos naturalmente vocacionados
destinados e aptos ao prazer,
o prazer nos guia para a vida,
enquanto todo medo é o medo da morte.
Neste 2009 , divisor de águas,
defina agora, de que lado vc está...
Ou vc alinha comigo
na Via do Prazer...
ou definhará eternamente
nos porões fétidos de um
moribundo patriarcado...
Eu, Nana Odara
instauro a Era do Prazer!
Sigam-me os bons
(de cama, inclusive...)

Nana Odara said...

Que bom q vc gostou...
Pra mim é um prazer receber elogios...
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

Fatima Cristina (www.fccdp.com) said...

Oi Jorge,

Foi fundo, hein?
Achei sua auto-reflexão sobre o seu relaciomento com o prazer um pouco masoquista. Você considera o conceito empacotado, enlatado e comercializado do prazer, e nao o seu próprio.
Quando você diz:"Prazer é conseguir fazer precisamente o contrário daquilo que a minha natureza me induz", eu discordo. Se sua natureza o leva a fazer o que faz, com certeza há também um prazer (só seu) aí embutido.
Procure o valor e encontre o prazer nas coisas que você faz, da maneira que você consegue fazer. Fique em paz consigo mesmo.

Obrigada pela visita ao "Boa Baltazar".
Abracos,
Fatima

jugioli said...

Prazer sempre um lugar de referência as nossas possibilidades e individualidades. Ter coerência sempre é um nível de sabedoria. Frear o prazer um dissonância com os nossos instintos.
Prazer e este lugar dos sentimentos misteriosos que tecemos ao longo da vida.

@dis-cursos

luzdeluma said...

Tarde? ainda respira? A morte é parar de respirar. E o grande prazer da vida é poder respirar! Adorei seu comentário! Foi uma complementação ao meu pensamento, perfeito! Beijus

Ery Roberto Correa said...

Amigão, teu texto é deveras profundo. Não vejo necessidade de, ao querer comentar, repetir um entendimento que considero também alinhado à essa profundidade que estabeleceste. Releia o que disse Maria Augusta - 15/4/09 07:48. Com uma simplicidade sem par, ela nos trouxe um douto conselho. Valeu! Abração.

Anonymous said...

Um homem ou uma mulher sem defeitos seriam uma seca, pq não dariam o prazer aos outros de os contrariar....

€ster said...

Nossa,

fazia tempo que não lia algo tão marcante e profundo!

Apesar de o conhecer de vista, é a primeira vez que venho aqui, e não esperava ler um texto tão maravilhoso!

Essa sua frase: "Prazer é conseguir fazer precisamente o contrário daquilo que a minha natureza me induz"
está martelando na minha cabeça, há muito o que pensar sobre o que escreveu,

vc fala de um raro prazer, um tipo de prazer não comercial, não instantâneo, que dá pouco ibope, que é muito pouco cultivado, mas como tudo o que vale a pena, é eterno!

textos bons são assim, deixão impressões fortes e muito o que refletir..


bjs,

peri s.c. said...

Prazeres são puntuais. Aumentemos o tamanhos dos pontos.

Nade said...

Querido,
Nunca é tarde pra viver a vida como deve ser vivida, com seus prazeres, pequenos ou não...
Olhar pra trás e perceber já é um marco para um recomeço!
Bjs

Jo. said...

O prazer de se redescobrir, de mudar as atitudes, de reconhecer as falhas e os acertos, Esse é o prazer de viver!
Bjim.

Van said...

Vês? É sempre cedo. E em ti, sempre algo amanhece e algo morre. Prazer é sentir isso. Profundamente. Como se fosse tudo eterno e finito. Como se sente quando descobrimos as coisas pela primeira vez.

Um prazer te conhecer pela primeira vez, Jorge.
Bem-vindo à minha vida!
Beijucas

nilda said...

O prazer de ter lido seu relato me trouxe até aqui. Não perca esta busca. Ela sempre lhe dará prazer.
Beijoca.
Nilda.
http://meucantin5.blogspot.com/

Sueli said...

Meu amigo, excelente texto, principalmente, na minha opinião, quando dizes sobre a positividade da insconstância do prazer. Agora, quanto aos prazeres que gostarias de ter tido e não teve, toda aquela lista de "erros" (foi o que entendi), só tenho a lhe dizer que, se já nascesses sabendo tudo, não precisarias ter nascido. Ficava lá no lugar dos anjos...rs. E o prazer de aprender, não conta? Beijo!

Andrea Vaz said...

Excelente texto. Bom para refletir!
Nunca é tarde para sonhar e sentir o prazer de um sonho realizado.

Sempre é muito bom participar do Tertúlia Virtual!

EXPRESSODALINHA said...

QUERO AGRADECER A TODOS, E FORAM MUITOS, TEREM TIDO A PACIÊNCIA DE ME LER E TAMBÉM PELOS CONSELHOS E FORÇA QUE ME DERAM. ESTA É UMA DAS VANTAGENS DA NET E DESTAS TERTÚLIAS. A INTERACTIVIDADE E A FORMA DESCOMPROMETIDA COM QUE SE ANALISAM OS ASSUNTOS. DESTA VEZ EU ESTAVA NUMA FASE MAIS "DOWN" E FOI UM DESABAFO QUE ACABEI POR FAZER. SEM DESTACAR NINGUÉM, AGRADEÇO A TODOS, PORQUE TODOS DISSERAM UM POUCO DA VERDADE. ESTAR VIVO É UM PRAZER. ESTAR CONVOSCO TAMBÉM.

Eduardo P.L said...

Eduardo P.L disse...
Eu faço agora o meu comentário,
Jorge, só um texto dessa QUALIDADE resulta em tantos e tão bons cOMENTÁRIOS!
Preciso dizer mais?
Obrigado por ter PILOTADO a Tertúlia sozinho, este mês! Foi por uma boa causa! A GLÓRIA !

16 de Abril de 2009 07:05
Jorge,

o comentário acima foi o que fiz neste blog:
http://comentariosque.blogspot.com/

expressodalinha said...

Eduardo: uma causa óptima. Mais uma vez parabéns.
A próxima é consigo...

António Oliveira said...

Foi um prazer ler este texto.
É na desconstrução que nos entendemos.
Abraço

astracan said...

O prazer, no seu sentido mais amplo, é grande "vacina" contra o controlo, o medo, o envelhecimento precoce, a depressão, sendo grande estímulo à criatividade, à vida, à liberdade.
O Estado sabe disso, a Igreja sabe disso e as pessoas, cada vez mais, também sabemos disso.
É com prazer que o constato. Há, no entanto, ainda muito caminho por desbravar, os preconceitos(inibidores de prazer) ainda são muitos, ainda há muita necessidade de catalogar, etiquetar.
É heterossexual, é homosexual, divorciado, asiático, mormon ou indiano.
Somos todos pessoas, porra!
Que façamos todos muito bom proveito.

expressodalinha said...

Obrigado António.
Astracan, continuas em grande forma.

Gabriela said...

Expresso,
obrigada pela visita e pelo comentário!
Gostei bastante do seu texto embora eu ache que NUNCA é tarde para nada. E garanto que sei do que falo.
Beijo.

Eduardo P.L said...

Jorge,

o problema para nós começa no dia seguinte à Tertulia, quando temos a responsabilidade de INVENTAR um novo tema, e que seja, ainda mais concorrido, que o anterior! Esta ficando cada dia mais difícil.
Mas já estou queinando os miolos!

EXPRESSODALINHA said...

Força Eduardo. O povo confia.
Obrigado Gabriela.

josé movilha said...

Excelente multiplicidade de veres do prazer. A globalização dos costumes, os feromas da intenção.
Sempre os bons pontos de partida da " Tertúlia".
Parabéns
josé

EXPRESSODALINHA said...

Obrigado José.