25.1.11

CAUSAS DA DECADÊNCIA DOS POVOS PENINSULARES - 5

"E a nós, Espanhóis e Portugueses, como foi que o catolicismo nos anulou? Com a Inquisição, um terror invisivel paira sobre a sociedade: a hipocrisia torna-se um vício nacional; a delação é uma virtude religiosa; a expulsão de judeus e mouros empobrece as duas nações, paralisa o comércio e a indústria; a perseguição dos cristãos-novos faz desaparecer os capitais. A Inquisição passa os mares, torna hostis os índios, impede a fusão entre conquistadores e conquistados, tornando impossível o estabelecimento de uma colonização sólida e duradoura. Na América a Inquisição apavora as populações indígenas e faz do nome cristão um símbolo de morte. O terror religioso faz das duas nações imensas hordas de fanáticos endurecidos, o horror da civilização. Com os Jesuítas desaparece o sentimento cristão, para dar lugar a sofismas deploráveis. Métodos de ensino brutais e requintados, esterlizam as inteligências e matam o pensamento criativo, alheando o espírito peninsular do grande movimento da ciência moderna. O ideal da educação jesuítica é povo de crianças mudas, obedientes e imbecis. Este ideal foi concretizado nas famosas missões do Paraguai. O Paraguai foi o reino dos céus da Companhia de Jesus: perfeita ordem, perfeita devoção, uma coisa faltava, a alma, aquilo que distingue o homem da animalidade".
Antero de Quental
(continua)

7 comments:

João Menéres said...

Ler ANTERO DE QUENTAL é ler JORGE PINHEIRO !
( A inversa é igualmente válida ).


Um abraço.

expressodalinha said...

João: Nem tanto. Mas fico muito honrado com a comparação. Há algo decisivo que nos separa. Antero era um desesperado. Eu ainda não...

João Menéres said...

Palavra.
Ao iniciar a leitura nem reparei que era o Capítulo 5 !
E li-o convencido que o estava a ler, JORGE !

Anonymous said...

Demasiado Antero, descobre-me um otimista (nao)
antoniao

expressodalinha said...

Os portugueses dão-se bem com o péssimismo. Sempre que ficam optimistas estragam tudo.

daga said...

o Padre António Vieira era excepção,não achas? Mas, lá está, a excepção confirma a regra...
ah, e agradeço-te esta introdução a Antero em prosa que desconhecia completamente!
Beijos

expressodalinha said...

Graça: já há quem esteja farto :))