4.3.11

MÃOS

Para cima. Para baixo. Suaves. Fortes. Entram. Saem. Estão por todo lado. Acariciam. Deslizam. Penetram. Agora fortes. Depois mansas. Mãos. Mãos que se mulplicam. Mãos que falam connosco. Uma intimidade de Verão. A pele excita-se. O corpo parece uma papa. Os músculos desmancham-se. O mar borbulha ao fundo. Pregões longínquos ecoam. Os olhos caem. Hipnose fugaz. Agora é no peito. Depois as pernas. Finalmente as costas. Uma visita detalhada. Profissional. Uma hora nas mãos da Ana. A massagem é uma instituição brasileira. Não faz bem nem faz mal. Um prazer único.

6 comments:

João Menéres said...

Como habitual, um texto VIVO !
Magnífica a descrição !!!

E a ANA não trata das mãos e dos dedos das mãos ?

myra said...

posso imaginar:))))
adorei a foto!
bjs

expressodalinha said...

A Ana trata de tudo, João.

expressodalinha said...

Myra: fazia bem às costas :)

Li said...

Uma delícia mesmo Jorge!!!
E já faz parte do cotidiano brasileiro.
:)
Cá entre nós, tenho um aqui em casa.
O Gil é ótimo!

expressodalinha said...

Assim não vale, Li.