17.10.11

ENTREVISTAS COM A CRISE - O BURACO

Os buracos quando começam tendem sempre a aumentar. É o "Princípio Universal do Alargamento do Buraco". Um buraco entregue a si próprio não pára de crescer. Por isso, quando entramos num buraco perdemos a noção. Já estamos bem enterrados e não damos pela dimensão do problema. Foi essa a dificuldade. A nossa entrevista começou com atraso. A bem dizer já estávamos no Buraco e não tínhamos dado por isso.

Expresso: Diga-me uma coisa Buraco, sente-se responsável pela crise?
Buraco: Qual crise? Não vejo qualquer crise. Olhe à sua volta. Vê alguma coisa? Nada! É tudo escuro...
Expresso: Pois, precisamente. Está escuro por causa da crise...
Buraco: Não, não. As crises têm cores. Muitas cores. Caso contrário não as víamos. Repare, há um enorme erro quanto à natureza dos buracos. O buraco não é intrisecamente mau. Na realidade somos nós que damos sentido à vida. Sem buracos a vida era plana. Sem "frisson". Uma coisa desconchavada. Sem graça... A vida tem altos e baixos. Sem baixos, como podia haver altos?
Expresso: Sim... pois..., mas os buracos não têm fim? Enfim, um limite?
Buraco: Aí é que está a confusão. Um buraco, por definição, está sempre em expansão. Sempre que o mundo pula e avança, o buraco aumenta. Será que queremos acabar com a evolução? A vida é, de facto, um enorme buraco.
Expresso: Mas, mas... então e o buraco financeiro?
Buraco: O buraco quê?! Desconfie dos buracos com nome. Esse é o buraco dos banqueiros. Gente perigosíma. Quem entra nesse buraco perde o norte. Nunca mais de lá sai. Fica agarrado aos juros, aos spreads. Embrulhado na taxa real e na nominal. Em breve começará a ganhar dinheiro. 
Expresso: Então, mas ganha-se dinheiro com um buraco?
Buraco: Claro. A ideia é essa. De que lhe serve o dinheiro sem um buraco!...Se tiver dinheiro você vai procurar um buraco para se meter, não é?  Ou vai ficar com o dinheiro debaixo do colchão?...
Expresso: Estou confuso!...
Buraco: Não vale a pena. Os buracos existem para descomplicar. Entregue-me as suas poupanças e em três meses tem o seu Buraco pessoal assegurado.


10 comments:

Li Ferreira Nhan said...

Genial!
Amei!
Viva o Buraco!

Eduardo P.L said...

É...o buraco é mais em baixo!!!!

João Menéres said...

Nunca desgostei de BURACOS !

byTONHO said...



Um "buraco cornucópia" sorvendo,
devorando tur...bilhões e bilhões da poupança nossa de cada dia.

:o(

myra said...

voce é fantastico como fala do buraco...estamos nele faz mto tempo...mas...quem sabe um dia fecha até este buraco:))))

Maria de Fátima said...

ah! Jorge, Jorge e não é que a ler a entrevista que tão bem pariste, apenas me vem ao pensamento aquele gesto que via fazer aos galináceos a saber com que contar-se...gestos apenas de quem viveu perto da terra e dos bichos :)pouco afeita portanto a buracos sem fundo ou buracos negros...

Anonymous said...

Não sendo os buracos financeiros buracos astronómicos (no sentido cosmológico), o dinheiro tem que sair (ir) para algum lugar. Não acredito que os tais banqueiros tenham caixas fortes tipo Tio Patinhas.Estou confuso... Esse dinheiro terá reentrado no sistema ou saiu do outro lado do universo?
Ortega

João Menéres said...

Depois de ter ouvido o que o Medina Carreira disse hoje à Judite de Sousa, essas marchas de indignação aparecem com sete anos de atraso.
Agora, só prejudicam e fazem perder tempo a quem o não tem.

beijo de mulata said...

Genial!

(um) beijo de mulata

expressodalinha said...

Obrigado a todos. As entrevistas continuam...