13.10.11

ENTREVISTAS COM A CRISE - O EURO

Fomos encontrar o Euro, vagamente alcoolizado, acabrunhado no fundo de um balcão, num bar de terceira ordem. A desvalorização era evidente. A desmotivação total. A entrevista foi a possível.

Expresso: Afinal o que é o Euro?
Euro: Apetece-me dizer que só sei que nada sei. Acho que fui traído...
Expresso: Mas não era suposto o Euro ser uma moeda forte?
Euro: Sabe, o Euro é uma ideia abstracta. Só existo enquanto sonharem comigo. De facto, não passo de uma folha de papel. Só por mim não valho nada... Houve quem me defraudasse...
Expresso: Mas a Zona Euro não era o máximo? O que se passou?
Euro: A questão é o que não se passou...

Pausa prolongada. Euro sorve compulsivamente o fundo do copo, num mal disfarçado nervosismo.

Expresso: Mas então o que é que não se passou?
Euro: Olhe, não posso falar. Se falo ainda me desvalorizam mais. Eu que sonhava com barras de ouro, acabo em papel higiénico
Expresso: Mas isto está assim tão mal? O Euro não serve para nada?
Euro: Sabe, o Euro está óptimo. Aliás cada vez há mais notas... Não há é dinheiro para o gastar.

Nesta altura, o Euro balançava cada vez mais no banco. Mal se aguentava em pé. Pediu um último "shot" e a conta. O empregado do bar foi peremptório: "Pagamentos só em moedas de ouro".


8 comments:

Li Ferreira Nhan said...

O problema esta na Zona.
Ou talvez ali se encontre a solução!

Eduardo P.L said...

O Euro é muito jovem, e ainda tem muita vida pela frente! Mais ou menos valorizado, será sempre forte! Tem Alemanha e França avalizando!

byTONHO said...



EU...ic...ROP...ic...EUS...ic!

Cadê os mEUs?

"Ótima expl...ic...ação!"

:(:

myra said...

acho que o problema foi tudo à causa da globalizaçao...

expressodalinha said...

Eduardo: o Euro agradece o voto de confiança.

expressodalinha said...

Li: uma zona que pode perder o nome.

expressodalinha said...

Tonho: uma bebedeira de incapacidade.

expressodalinha said...

Myra: e que fazer?