16.11.11

VIAGEM À TERRA OCA - V

Uma luz branca. Dez degraus para o infinito. O número do universo. Um universo desconhecido. Um pressentimento de vida. Um prenúncio de morte.  E tudo à nossa volta parece não interessar. Só aquela luz nos pressegue. Um chamamento, uma salvação. Sente-se a presença divina, mas será que Deus existe?...

5 comments:

Li Ferreira Nhan said...

Salvação?
...
Se Ele esta a espera
que continue a esperar.
Prefiro o caminho de "subir para baixo ou a descer para cima";
sem encontrar Ninguém!

Que viagem Jorge!!!

Luísahttp://umolhardeperto.blogspot.com said...

Bela viagem em torno da ambiguidade.
Houve a certeza de que Deus existe e permitiu com que conseguisse ver toda a beleza do que lhe esteve por perto!
Bjnhs

Maria de Fátima said...

tu perdoa-me, Jorge! sabes que não sou de dizer as coisas pela metade
ou não digo ou pronto, sai-me tudo...
esta conversa refere-se ao texto,
à pouca convicção do mesmo.
como se presença divina fosse coisa de trazer por casa
tanto que colocas uma vírgula no assunto e rematas com aquela adversativa - sem muita convicção também ela.
ou seja, e que me perdoes se digo, um texto salobro apesar do tema...

Eduardo P.L said...

Boa reportagem!

Maria de Fátima said...

olha que eu , relendo, não encontro a ironia que lhe quis dar há bocado! castigo dos deuses, Jorge, perdoa, mas era para ter graça e...saíu salobro...