12.2.12

ZUMBIS

Todos gostamos de comunicar. Mas nem todos sabemos fazê-lo. Para comunicar é preciso gostar de comunicar e de saber comunicar; depois, convém  escolher o meio adequado em função do que se quer dizer e qual o público alvo; finalmente, há que ter mensagem para divulgar. Uma mensagem que seja eficaz. Depois há ainda que respeitar algumas técnicas básicas, sob pena do post ser chato ou longo demais. Escrever nos blogues é escrever pequenos textos, com força e eficácia. Podem ter ou não polémica, mas têm de ser curtos. Devem ter resposta para estimular os comentadores e animar debates. Devem-se fazer visitas alargadas para criar novas apetências de retorno. 
Vem isto a propósito dos BLOGUES. Ultimamente tem havido menos animaçãpo para estes lados. Neste cantinho da blogoesfera já nos vamos conhecendo bem. Somos sempre os mesmos, quase não entra gente nova. Os comentários estão em redução. Não temos a certeza de ser lidos. Acusamos as Redes Sociais de canibalismo. E alguns estão à beira do desânimo. Estão numa de ZUMBIS. Não concordo. Por cá os blogues florescem. Até há programas de "combates de blogues" na televisão. Alguns acusam os blogues de estarem a substituir-se à democracia; cada vez há mais blogues; blogues citados nos jornais pelos comentadores, são já fonte noticiosa obrigatória. São um verdadeiro meio de comunicação social. A questão está no que eu disse ao princípio: é preciso gostar; saber; ter mensagem; ter a técnica adequada para comunicar. E, convenhamos, nem toda a gente sabe. Alguns até não têm nada disto e gostavam apenas de comunicar. Por outro lado, a temática escolhida marca as audiências. A política e a politiquice ou o futebol ganham leitores e intervenientes. Outros temas são mais difíceis.
Fazer um Blogue é fazer uma obra. É como escrever um livro. Temos de ter um grande rigor e ser suficientemente abertos para mudar. A nossa satisfação está na directa relação entre o que publicamos e a qualidade dos comentários que recebemos. A satisfação dos leitores está no prazer dessa leitura (ou visualização) e no reconhecimento dos seus comentários como bons. Essa pode ser uma das desvantagens relativamente ao FB: a visualização total dos comentários, provocando uma discusão mais "democrática" e instantânea. A "Zumbiesfera" é, assim, um novo desafio para os blogueiros. Resta inovar... Pessoalmente, gostaria de voltar a uma experiência colectiva, por exemplo uma 2ª edição da Tertúlia Virtual. São coisas dessas que separam as águas entre FB e Blogues. Que me dizem? 

25 comments:

myra said...

digo qe voce tem razao!

Anonymous said...

Ui, tertúlias ....

"Tô" aqui pró que der e vier

Luísa said...

Anuência total!
Sendo uma aprendiz de banco de escola onde os vosso olhares se cruzam com os meus, mesmo que em horizontes diferentes, só posso concordar!
Beijinhos mil

sonia a. mascaro said...

Gostei muito de sua reflexão a respeito dos blogs. Aqui no Brasil a cada dia aumenta o número de blogs em todos os setores da sociedade. Para citar apenas um exemplo, no jornal "O Estado de S.Paulo", do qual sou assinante, a maioria dos jornalistas têm blog na web. Fiz a contagem e o jornal tem 110 blogs. E outros meios de comunicação também seguem a mesma tendência.
Concordo com você que os blogs são hoje um verdadeiro meio de comunicação social e que "escrever nos blogues é escrever pequenos textos, com força e eficácia. Podem ter ou não polémica, mas têm de ser curtos".
Realmente os blogs cresceram muito, mas em função da grande oferta e diversidade de temas, até onde pude observar, tiveram seus números de visitantes diminuídos. O meu blog tem hoje uma média de comentários muito menor do que já teve há alguns anos. E muitos dos blogs que visito, idem. Penso que o Facebook carreou para si muito do público que visitava os blogs pessoais. As características do Facebook têm atraído muita gente: comunicação interpessoal mais rápida na troca de mensagens e opiniões, na leitura de notícias, entre outras atrações. É mesmo um fenômeno! E quem não quer comentar, basta clicar no ícone "Curtir" e está dado o recado. Já fazer um post no blog dá mais trabalho e gasta-se mais tempo. Ler e comentar também. É como você disse: "Fazer um Blogue é fazer uma obra. É como escrever um livro."
Mas o tempo é precioso! E por falar em tempo, desculpe, este comentário ficou imenso... Mas o assunto é "quente" e seu post é muitíssimo instigante!

Sobre a Tertúlia Virtual, eu gostava muito de participar!
Abraços.

byTONHO said...
This comment has been removed by the author.
byTONHO said...



"Essi Jorgi" é um MESSI!
Só escreve 'gol' com "TEXTAÇO!"

Viva a Zumbiesfera!

"Viva?! Se estamos mortos... (contraditório?)"

Ah! ah! ah!

Quanto uma "volta da TERTÚLIA", como ficaria para quem não escreve, não lembro como era... nunca participei.


Até!

:o)

daga said...

Acho o teu blog muito bom e não tem nada de Zumbi, está bem vivo ;)
não me parece que o FB tenha alguma vantagem sequer em relação aos blogs - mesmo que discordes de um texto ou foto e digas que é uma porcaria, eles escrevem "Graça gosta disto" :p (qualquer dia expulsam-me de lá, só faço o que não é suposto :s)! Bom em relação à Tertúlia Virtual não sei o que é mas soa bem :) (acho que vou gostar disso!!)

Teresa said...

Excelente texto, assino cada linha, cada ideia. E, quanto à tertúlia, podem contar comigo.
Abraço.

Silvares said...

Tertuliemos de novo. Seja como zumbis ou como outra coisa qualquer. A Tertúlia foi (e poderá voltar a ser) um factor dinamizador da nossa querida zumbisfera. Voto nessa!

João Menéres said...

Quando começa a TERTÚLIA VIRTUAL ?
Na semana do Carnaval estou totalmente ausente...

Sou FIEL a essa feliz iniciativa de que tantas saudades tenho !

VAMOS PRÁ FRENTE E JÁ !!!

Li Ferreira Nhan said...

Por hora só aprecio os comentários!
:)))

peri s.c. said...

Excelente texto, Jorge, concordo amplamente !
E que se reviva a Tertúlia , um dos exercícios mais instigantes e criativas que tivemos nas nossas aventuras blogueiras .

ricardo garopaba blauth said...

assino embaixo do que escreveste.....

Eduardo P.L said...

Jorge,

comungo com as linhas centrais de seu texto. Como sempre coloca-se muito bem. Tenho reservas, como já as externei, quanto à volta ao passado. "Nada na vida nada será como foi um dia"...diz a letra da canção, e essa é a verdade inexorável... Tentar ressucitar o que já teve sua época de esplendor, é frustração na certa! No mais estamos de pleno acordo, como sempre!

Li Ferreira Nhan said...

Como de hábito o teu texto é claríssimo, excelente.
O Expresso já é uma obra há muito tempo.
Como o Peri bem escreveu, a Tertúlia foi uma experiência criativa e única no mundo dos Blogs.
Tenho saudade dela.
E tb tenho dúvidas s/ sua volta. Oxalá ela não venha frustrar tanta espectativa.

expressodalinha said...

Eduardo: claro que entendo o seu ponto. Estou quase certo do novo sucesso. A fórmula é simples e dinâmica. Os comentários supra são elucidativos. Não entendo "frustração". Acho um exercício divertido e interactivo. Frustração é andarmos à procura e posts que depois não têm leitura. Que me diz?

peri s.c. said...

Muitas expectativas são meio caminho andado para muitas frustações .
Moçada :
1. difilmente voltaremos a ter 20 comentários por post, como nos bons tempos - os cenários mudam . Como alguém escreveu aí em cima, hoje temos que dividir o tempo ( extra : trabalho, banco, trânsito, supermercado, novela, empragada, jardineiro, periquito, papagaio,, etc ) entre muito mais blogs, FB , TW e alguma outra novidade que surgir. A audiência está de vez pulverizada e ponto. Não adianta ficar brigando contra isso .

2. Tertúlia ? encaremos ludicamente, que é o que era e o que tem que ser . Alguns vão curtir, outros não, alguns vão participar, outros, não. E la nave vá ....

3. Continuo fazendo minhas postagens, sempre encarei o blog como um pro-memória dos assuntos que me interessaram, me chamam a atenção, merecem ser " guardados". Se tem audiência ótimo, se tem comentários, melhor ainda. Se ninguém vê , ok, uma pena, mas sem sofrimentos.
Fim de semana passado fui rever meus post sobre a viagem que fizemos a Portugal ano passado. Maravilha, valeu pelo prazer pessoal de reviver via blog aqueles momentos. Justificou a existência do blog.

Anonymous said...

Eu não sei como era mas interessa-me saber como vai ser. Nada como foi será, como ali disseram, mas sempre se pode incrementar, aparar uma aresta aqui, acrescentar ali... enfim, se não se tentar é que nunca se saberá se vai dar certo ou não. Frustrante é querer e não fazer, ou, pelo menos, não tentar.

Eduardo P.L said...

Compreendo a ansiedade de quem não conheceu a Tertúlia, de vir a participar. Entendo os argumentos, sempre bem intencionados, e otimistas do Jorge, mas não estou disposto a enfrentar a carga de trabalho que dá uma brincadeira dessas. Só o Jorge e eu sabemos pelo que passamos nos melhores momentos da Tertúlia! Os reclamos, os enganos, os links errados, as críticas, os pedidos de socorro! Deus me livre, só de pensar me dá mau humor.Para quem só participava, não faz ideia do stresse que antecedia cada rodada! Quem cuida do que, qual será o tema, e ficar pajeando os novatos e os que cometiam erro a todo instante!Definitivamente estou fora. Mas não posso ser contra que quem quiser, assuma o comando. Só alerto que houveram mais de um imitador, e deram com os burros n´água!O que passou passou! Vamos seguir em frente. Vamos encarar a REALIDADE sem saudosismos.

Anonymous said...

Por um acaso esse modelo antigo está on line para visitas?

Eduardo P.L said...

Meu caro anônimo, está on line sim, e pode ser visto aqui: http://tervirtual.blogspot.com/

Anonymous said...

Agradeço a informação. Irei até lá, sem demora.

João Menéres said...

Que pena, ser NÃO DEFINITIVAMENTE !
Eu sei que lhe dei trabalho.
Ao princípio, nem sabia como fazer e era o EDUARDO que me dava a mão .
Como esquecer essa ajuda preciosa ?
Sou, portanto, um dos responsáveis pelo FECHO !
Lamento e desculpem a minha TOTAL IGNORÂNCIA NESSA ALTURA.
Obrigado, EDUARDO !

Selena Sartorelo said...

Olá Jorge,

Quanto aos blogs,acho apenas que a ferramenta está antiquada. A proposta cada um que participa já sabe qual é, e quando não descobre nem aprende, simplesmente não fica...acho que mais agilidade e atualizações mais eficazes e mais interativas não prejudicariam o uso com conteúdo e qualidade de quem tem essa intenção.
Quanto a Tertúlia..sim foi uma época boa..acho que daria um bom livro de opiniões inteligentes,e doces devaneios rsrs...Sei lá, acho que estou envelhecendo, não tenho mais tanta pressa, hoje leio mais do que escrevo,pena que isso não acontece igual com o ouvir e o dizer...

Beijos Jorge e manda um beijo grande na família por mim.

expressodalinha said...

OBRIGADO A TODOS PELAS OPINIÕES. DE VEZ EM QUANDO TEMOS DE OLHAR UM POUCO PARA O UMBIGO E SEGUIR EM FRENTE.