26.5.12

DÚVIDAS

Ainda perturbado com a polémica sobre os direitos autorais, fico com dúvidas. Será que posso tirar fotografias a este veleiro? Será que tenho de ter autorização prévia do proprietário? Posso ser processado judicialmente por invasão de privacidade? Enfim, posso andar na net ou tenho de dar prioridade aos "profissionais" do click? E o que é um profissional? É o que tira fotos para ganhar dinheiro? O que tem cartão sindical? O que não sabe fazer mais nada senão "pilhar" imagens da vida e cobrar-se por isso? Quase não dormi a pensar nisto. Por isso, hoje não há lição de sexologia. Estou sem tesão.

27 comments:

Diogo Santos said...

Tinha uma resposta feita mas isto deu um erro e apagou-me tudo -.-' enfim

Pode tirar as fotografias que quiser ao que quiser a título pessoal, ou seja que as fotos ficam no seu computador e não são partilhadas para ninguém.
Se o dono do barco visse esta fotografia e conseguisse provar que sem dúvida é o seu barco então se quiser pode legalmente pedir para que a fotografia seja removida. O mesmo se passa para qualquer imagem que tenha no site com pessoas / propriedades que tenham sido tiradas sem uma autorização do sujeito e ou proprietário.
Uma vez estive a assistir uma sessão fotográfica que envolvia um avião privado, a ideia de incluir o avião foi ali no momento visto que tinha acabado de aterrar. Falou-se com o piloto que por sua vez telefonou ao dono do avião que autorizou que o avião aparecesse mas que o número do avião (matricula basicamente) nunca poderia aparecer.
Agora isto foi para algo publicitário, que é diferente de um blog simples e caseiro. Mas as leis não mudam. É por essa razão que sites removem matrículas de carros quando estas são extremamente visíveis, o dono do carro pode por lei processar o site se vir a matrícula por exemplo.
Ao andar na net pode "clickar" onde quiser ir onde quiser mas se estiver também a fazer um site e tire o código tal como está num site que viu sem autorização do programador (basicamente criando um site igual ou muito semelhante) então pode ser processado por roubo de propriedade intelectual. Por acaso tive um caso na minha família assim, alguém roubou de forma literal o código do site que o meu familiar criou e a pessoa teve um mês, dado por carta por um advogado, para retirar o site da net ou o caso iria para tribunal. Em duas semanas e conversas entre advogados o site foi removido.
O "Profissional" nestas áreas é difícil de definir é verdade, qualquer um com dinheiro compra uma camera boa e diz que é fotógrafo porque hoje em dia fotografar "é fácil". Para mim um profissional é uma pessoa que cria um nome na área a que se aplica e é pago para fazer o seu trabalho. Em fotografia na minha visão um fotógrafo profissional é também aquele que tem o seu nome associado a publicações e é a sua atividade principal, seja para outros ou para si próprio.
Eu considero-me um jovem fotógrafo profissional, tenho os meus cursos, publicações e referências de empresas que me contratam para trabalhar. Agora há bons e maus profissionais, como em todas as áreas.
Voltando aos direitos hoje descobri isto http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=484822&tm=4&layout=121&visual=49 uma fotografia da minha autoria publicada no site da RTP, porque não refilo à RTP por não me ter dito nada? Porque esta fotografia foi dada à banda Xutos e Pontapés e tenho em boa autoria que lhes foi pedida a foto. Como dei a fotografia cedi os direitas à banda para a divulgarem como quiserem. Adorava que eles me tivessem dito alguma coisa mas não têm qualquer obrigação disso porque a foto "já não é minha" (ponho entre aspas porque continua a ser da minha autoria daí os créditos).
Mais um exemplo de direitos de imagem num trabalho que fiz, uma empresa pediu-me para fotografar raparigas a serem maquilhadas na rua, fotografias que depois seriam publicadas no Facebook da empresa. Foram mais de 100 pessoas em 3 dias e todas tiveram de assinar um papel (um para cada pessoa) a dizer que cediam o direito de por a imagem no Facebook e no site da empresa mas só aí, se eu quisesse por no meu não podia por exemplo.
Copyright sempre foi algo tremido agora ainda mais com esta acessibilidade toda.

Fatyly said...

Sinceramente li todos os comentários e tanta polémica para quê? As fotos inclusive tem o nome do autor no canto inferior esquerdo e em baixo das fotos, está o autor escrito por ti. Acho que só o próprio é que poderá dizer da sua justiça e não apareceu porque razão? Acho que o seu profissionalismo não foi beliscado e na volta já está habituado, porque se assim não fosse...teria todo o seu trabalho protegido como há muitos que o fazem.Talvez por ter uma formação/educação muito superior aos que aqui passaram com graves erros de português:):):)

Já conhecia a obra dele que é de facto genial e fui lá ver as novidades...ao invés dos seus "fotógrafos defensores" que não me causaram qualquer curiosidade.

Vamos ao barco...desculpa veleiro...as tuas interrogativas

"E o que é um profissional? É o que tira fotos para ganhar dinheiro? O que tem cartão sindical? O que não sabe fazer mais nada senão "pilhar" imagens da vida e cobrar-se por isso?"

Ora aí está o busílis da questão, terão pedido autorização para fazerem essa pilhagem? Os que ganham dinheiro têm um estudo próprio, trabalham para um empresa como por exemplo a QUERCUS para não falar de outros a nível mundial.

Só não perdoo algo que por vezes vejo...tipos e tipas a tirarem fotografias a adultos e crianças na praia. Os adultos é com eles, mas com as crianças...já ocorreram autênticas batalhas porque ficaram sem as máquinas e viram-se a braços com a justiça! Nisto eu concordo...

Não penses mais nisso e continua com o teu trabalho e vê lá se pões o nome nas tuas fotos:):):)

Caramba, se fossem mais defensores das leis do garrote que nos sufoca cada vez mais...fariam melhor figura.

Um abraço rapaz e pessoal há coisas bem mais graves e vamos é debatermos contra elas!

expressodalinha said...

Obrigado pela explicação. Vou deixar de fotografar. Cada vez que fizer um clique vou-me lembrar disto tudo e fica tremido :))

expressodalinha said...

Diogo: já agora qual é a tua visão das partilhas no FB?

Fatyly said...
This comment has been removed by the author.
Fatyly said...

(apaguei em querer o anterior comentário)

Diogo Santos
Assim sim, gostei muito do seu comentário e é bom saber o que refere, porque é a falar educadamente que, pelo menos eu, aprendo sempre, ao invés dos ...que partem logo para a agressão!

Expresso
Com os milhões de fotos que existem na net...oh pá pf não deixes de fotografar e questionas algo mais sobre o FB que me leva a nunca lá ter ido e nem sequer por curiosidade.

expressodalinha said...

O meu amigo e professor de fotografia no ARCO, Roberto Barbosa, tinha um teoria muito engraçada sobre esta matéria. Ele era a delicadeza em pessoa. E perguntava sempre antes de fotografar. E podia sempre. Ninguém lhe conseguia dizer que não. Mas lá está, como diz e bem o Diogo, uma coisa é fotografar, outra é usar e editar a foto. Muitas vezes temos de arriscar. Qt à partilha de imagens, a cena é outra.

expressodalinha said...

No caso da partilha basta ler o "ladinho" do João Menéres, Grifo Planante. blogspot.pt/. Ele é um profissional e "apenas" exige identificação clara ou autorização expressa. É do mais limonar bom senso.

daga said...

"deixe que digam, que pensem, que falem, deixe isso p'ra lá" e dorme descansado ;)
beijo

Diogo Santos said...

Fatyly: admito o meu primeiro comentário foi desgostoso, estava num dia não e foi injusto... mas se ler os outros comentários verá que mudei de registo assim que vi a tempestade que se tinha criado. Fui na onda mas quis sair dela sem ser aos trambolhões.

expressodalinha: há uma coisa que nunca ninguém lê quando se junta a um site que é os Termos e Condições. Em relação a conteúdos postados pelos utilizadores a Empresa Facebook reserva todos os direitos de divulgação, publicação e edição de todas as imagens mas a propriedade do conteúdo em si permanece com o utilizador. Ou seja ao dizer que se aceitam os Termos a empresa, e só a empresa,pode utilizar as imagens (para exemplo) mas estas continuam a ser de quem as colocou lá o que legalmente, se eu percebo corretamente, quer dizer que eu não posso refilar por nada que o Facebook faça com as minhas imagens mas se uma imagem minha que estava no Facebook aparecer fora deste sendo propriedade minha eu posso impedir a sua publicação.

E assim a empresa defende-se e o utilizador permanece dono do que é seu.
Tenho a certeza que o blogspot.com tem termos semelhantes se não iguais.

João Menéres said...

Darei a minha opinião mais logo, depois da meia noite.

Um abraço.

expressodalinha said...

Diogo: certo. Mas a questão é da partilha por exemplo de uma foto minha por outra pessoa no FB, coisa banal... Aí as condições do FB nada dizem.

Diogo Santos said...

Mas aí a pessoa está a partilhar dentro do FB e da empresa em si. Ou seja está coberto dentro da empresa. Agora se puser uma foto tua sem autorização tu tens direito a dizer ao FB para tirar a imagem de lá.
Voltando ao caso das fotografias do Rui por exemplo se tivesses posto o link de onde arranjaste as fotografias em vez das fotografias em si a conversa que estamos a ter agora não teria acontecido porque estarias a divulgar o local onde o autor controla o que está a ser publicado entre outros trabalhos.
Se me faço entender... (ás vezes as palavras soam-me bem na cabeça mas saiem confusas escritas hah)

expressodalinha said...

Diogo: faz sentido e percebo o que dizes. É evidente que teria de ver melhor as Condições Gerais. Mas a questão é sempre a mesma. A Web é um mundo de partilha (imagens, música, textos). Mais do que banalizado, faz parte. Claro que as empresas de suporte se eximem de responsabilidades e podemos sempre encontrar alguém que não quer aparecer ou não quer a partilha. Mas então o que está aqui a fazer?! Havendo manipulação ou má fé, entende-se uma reacção. Caso contrário, acho de manifesta falta de bom senso e de proporções ridículas. Repara, a questão que deu origem a esta saudável troca de impressões, não faz sentido. A fotografia é pública, de um espaço público, de "figuras públicas". E foi identificado o autor com destaque. Não são fotos da família dele ou intímas. Estão na net sem protecção. Este blogue não é comercial. Tem "fregueses" que até gostam de divulgar a obra e alguns até são fotógrafos e de outras latitudes... Acho que mais do que a tecnidades jurídicas, houve uma irritação qualquer que ainda não entendi e que lamento.

expressodalinha said...

..."tecnicidades jurídicas" (quero dizer).

Luísa said...

Bom senso....bom senso...Se não é meu peço autorização para usar.Se uso, identifico o autor e a fonte.
Bom senso do mais básico que são as premissas da boa educação...
Quantas vezes são as imagens que motivam as palavras?
Não desista de partilhar o que fotografa. Nós agradecemos que partilhe!
Beijinhos mil

Anonymous said...

Quando o fotógrafo é genial o seu clic tem a sua marca. Nem há necessidade dos tais "créditos". Identifica-se, de imediato, a autoria da fotografia. Um Salgado, um Cartier, um Capa e tantos outros génios ... mas a genialidade não cabe a todos. Então, quando a fotografia nasce de um clic de fotógrafo com talento mediano, com fotos banais que até eu conseguiria fazer melhor, há que se pôr o nome do autor para não haver este tipo de confusões.
Quem diz fotografia, diz pintura, diz escrita, diz escultura e por aí vai. Penso, no entanto, que é sempre bom colocarmos o nome do autor do trabalho para que, a quem lhe desconheça o traço, se dê a oportunidade de passar a conhecer. Eu adoro essa gatunagem de imagens mas sempre com a devida identificação: nome da obra e nome do autor da mesma.

Anonymous said...

Em tempo: No caso em tela, as fotografias foram devidamente identificadas. Então para quê tanto estardalhaço? Ainda se quebram as lentes, caramba! E por conta disso o bem-bom das aulas lá se foi ...

Acho que vou suspender a matrícula.

Diogo Santos said...

Pois entendo e como já disse percebo o ponto de vista ao facto da extensão dos comentários.
Mas para mim não é não querer partilhar é querer o controlo da partilha. O controlo de onde estão as minhas fotos, quem as comenta, o que dizem. Dentro do FB por exemplo a pessoa sabe isso tudo mas a partir do momento em que se sai para o vasto mundo perco a noção do que se passa com as minhas fotos. Tudo bem no caso que se passou aqui foi sem más intenções mas ao publicares aqui perdeu-se o controlo de quem possa (com más intenções) tirar as fotos.
Do meu lado foi mais achar falta de tato não se dizer nada ao autor das imagens. Acho que não fica bem, acho que de certa forma banaliza e desvaloriza o trabalho do autor percebes?
Como podes ter visto eu sai da conversa assim que se começou a falar em advogados... para mim isso já é falar demais exatamente por perceber que nunca foi por querer falsificar nada ou mal intencionado e por perceber o lado "público" da net.
Mas mesmo dentro do espaço público há regras, sejam elas do estado ou sociais, que a meu ver são essenciais, isto tanto na net como na vida.
Quando fiz trabalhos para o liceu, há vários anos atrás, em que precisei de imagens e ou textos enviei mails a pedir aos autores dos sites autorização para citar ou copiar imagens para intuito puramente escolar. Mesmo sendo espaço publico dá valor ao trabalho.

Sou assim... :)

Eduardo P.L said...

RUIM & desLEAL
toda tentativa de penalizar o autor deste blog.
Vamos voltar às aulas, pois essa conversa de direitos autorais, na web, é conversa para boi dormir!
Os músicos, e gravadoras já entenderam isso, e se defenderam. Os fotógrafos e escritores haverão de se acostumar com essa liberdade saudável. Depois, ironicamente, são os primeiros a reclamar contra a censura! É direito do autor ter suas obras sempre nominadas quanto à autoria, mais do que isso, esqueçam! O mundo, e as mídias mudaram, e precisamos nos adequar. Ninguém até agora me respondeu como o tal do código Português de Direitos Autorais poderá agir contra eventuais infratores na China, na Austrália, ou mesmo aqui no Brasil.
Calma senhores zelosos dos direitos autorais, quanto mais conhecidas suas imagens ( ou textos ) maior será o valor de mercado de seus trabalhos! Vejam o caso do Jean-Michel Basquiat,e do Banksy.Suas obras só se valorizaram porque foram largamente divulgadas, sem nenhuma remuneração. Pensem nisso. Acordem para uma nova realidade!

byTONHO said...



Pô! Lê...Mi-Cas de novo!

Cheguei atrasado...
Ainda BEM que terminaram todos..."BEM na FOTO"
...

"Está parecendo uma AULA sobre masturbação! Ops!"

Até!

:o)

Li Ferreira Nhan said...

Também acho que vou suspender a matrícula.

expressodalinha said...

Grande "boca" Tonho.

expressodalinha said...

Diogo: Estou muito de acordo com o Eduardo. A música vai sempre à frente nestas coisas. E acho que não houve falta de tacto meu, mas excesso de zelo e bocas foleiras. Nós naõ controlamos nada a partir do momento em que entramos na net. Este é o Admirável Mundo Novo. Eu fiz o que tinha a fazer. Obrigado pelos teus comentários acertivos e espero ver-te mais vezes neste comboio. Abraço.

myra said...

nao é para perder o sono, meu querido Jorge!

Diogo Santos said...

expressodalinha: lá está poderia-mos ficar a falar disto eternamente que nem eu nem tu chegaríamos a nenhuma conclusão visto termos maneiras diferentes de ver as coisas. E ainda bem se não o mundo era uma seca.
Enfim acabo aqui os meus comentários pois acho que expressei a minha visão e como já disse lá em cima admito o abuso do meu primeiro comentário.
Volta lá aos posts normais antes que os teus seguidores se chateiem é contigo! hehe

Obrigado pela conversa
Abraço

expressodalinha said...

:))