14.3.13

A BARCA PETRINA

Saber se um Papa é "conservador" ou "progressista" é o mesmo que perguntar se a água do mar é mais ou menos salgada. O simples facto de me dizerem que o Papa Francisco anda de transportes públicos e só tem dois fatos pendurados no guarda-roupa é irrelevante. Que gosta de futebol e sabe cozinhar ainda me interessa menos. Dizerem-me que é contra Khirsner, mas apoiou a ditadura argentina, também não é decisivo. Saber que se opõe ao casamento de sacerdotes, não quer mulheres a dizer a missa e não aceita o preservativo, nem o casamento gay, continua a não me dizer nada de especial. Como é evidente quem chega a cardeal tem de ser ortodoxo. Logo, há questões em que não pode ter outro pensamento. Aliás, qual é o poder de um papa no seio da Curia Romana? Que autonomia tem? É escolhido para mudar? E mudar o quê? A Curia Romana terá os seus problemas internos para resolver. Sempre os teve. Nunca houve no mundo instituição mais corrupta e decadente. Uma herança do Império Romano que se eternizou por dois milénios. Por isso é bom que apareçam homens que, inspirados ou não pelo putativo Espírito Santo, dêem alguma credibilidade à Igreja. Uma credibilidade que ultrapasse os seus fiéis. Esses estarão sempre aptos a acreditar, a aceitar. Os não fiéis desconfiam de tudo isto. Por isso, saber se o Papa é "conservador" ou "progressista" é-me relativamente indiferente. Quero é saber como se vai posicionar face à loucura neo-liberal que assalta o mundo e como se vai opor ao expansionismo muçulmano na Europa. Porque estas duas questões são aquelas em que ele pode exercer um magistério de influência. As outras, são questões fé ou meras questões internas da Igreja. Pouco me importam.

11 comments:

myra said...

penso como voce!!!!

mauro m said...

Uma " associação " de fé, tentacular mundialmente e que tem 2 bilhões de seguidores poderia ajudar a mudar muita coisa. Mas vamos supor que o novo preposto divino seja de fato um progreessista ( o que sabemos, não é, pois se fosse não teria chegado ao supremo cargo ) num instante será engolido pela teia de aranha empoeirada que é essa tal de Curia Romana.

João Menéres said...

As duas questões que interessam ao Jorge saber, são verdadeiramente as mais importantes de tudo o mais.
Penso que aos 76 anos de idade, já falta muita energia para contrariar, para renovar.
E, como diz, o MAURO, aquela teia empoeirada da Curia Romana é danada.

Anonymous said...

Estão todos perdidos, pois o tamanho do ´rebanho´ deles estão saltitando mundo afora, em outras paragens. E concordo: a quem importa? Assino embaixo, instituição corrupta e decadente.
madoka

Eduardo P.L. said...

Muito bem colocado. Agora é aguardar. O que cada Papa trás consigo é esperança. E ela se renova a cada morte ou renúncia.

expressodalinha said...

Madoka: não sei se é rebanho. Agora, que o Papa é das Pampas, acho que é manada.

Anonymous said...

"O pau que bate em Chico, não bate em Francisco". Isto diz o Povo e digo eu que também dele faço parte.
O Francisco está lá. Os Chicos são muitos, com fé ou sem ela, e assim continuarão as suas sagas. Muda alguma coisa? Mudará? Para que serve um Papa? Para mandar rezar, ora!
A Capela Sistina é uma bela obra de arte. O resto que a rodeia torna-a menos bela.

Depois disto só me apetece dançar um Tango Argentino!

E viva Lionel Messi!

Mena G said...

Desculpem-me a "brejeirice":
"Com papas e bolos se enganam os tolos".

Anonymous said...

Sim, Mena, só que os tolos, de tanto engolirem papas, enjoaram. Enganam-se aqueles que acham que os tolos andam enganados.

Fatyly said...

Acreditando no que acredito e longe de praticas religiosas quero é de facto ver o que referes:

"Quero é saber como se vai posicionar face à loucura neo-liberal que assalta o mundo e como se vai opor ao expansionismo muçulmano na Europa."

Agora se cozinha ou anda de transportes públicos isso também eu faço e não sou Papa:)

Gostei e concordo em absoluto com o comentário de Mauro embora por vezes há factores surpresa e pode ser que limpe a teia e mate a aranha!

Anonymous said...

Esta é mais uma instituição corrupta e decadente.
Não é a mais, nem a única.
E muito menos a última com certeza!
Do oriente ao ocidente a coisa fede.
Uns são mais discretos, polidos, "educados" na fedentina. Outros menos. Mas cheiram mal, muito mal!
Só se camuflam na beleza das cores, na paisagem, nas vestes, no brilho, no exotismo, no perfume do incenso. Aqui, ali, lá!
É o circo.
Não me iludo. É tudo igual!

Li F N