17.12.16

COMIGO MESMO - XII


Recordo-me mal do avô Francisco. Sei que o pai dele era pintor e restaurador de igrejas e a mãe tinha uma padaria. Consta que era ela que levava o dinheiro para casa. Tinha imensa curiosidade de saber mais sobre este meu bisavô pintor, mas agora já é tarde. Quanto ao avô Francisco, o pouco que sei está nas poucas notas curriculares que encontrei. O avô Francisco nasceu em Bragança, em 31 de Janeiro de 1902. Em 1919 ingressou nos CTT como aspirante. Ascendeu a chefe de serviço de Exploração de 1ª classe. Depois foi chefe da Circunscrição Postal, primeiro do Alto Alentejo, depois do Ribatejo e, finalmente, do Douro Litoral, altura em que me lembro dele no Porto.
Era um homem de presença forte e cativante. Um homem bonito que seguramente teria muitas aventuras nas suas inúmeras deambulações pelos serviços postais de Portugal. Mas que sei eu... Sabemos muito pouco dos nossos avós. Gente velha que nos tratava com carinho e desvelo, mas de quem nunca soubemos verdadeiramente o que pensavam, o que queriam, de onde vinham, nem para onde iam.

6 comments:

João Menéres said...

O Jorge viveu no Porto ?
Quando e aonde ?
- Conte lá para a gente, senhor contente !

Jorge Pinheiro said...

Eu não. O meu avô sim e já não sei onde. Mas o outro ramo, do lado da minha mãe (Ferreira) mora todo no Porto.

Eduardo P.L. said...

A auto biografia consentidissima.

Silvares said...

Ao ler estas linhas fiquei meditabundo. Pois, os avós!

Li Ferreira Nhan said...

Belos homens lá de cima!
Meu avô, do Cimo de Vila da Castanheira, era um homem bonito, discreto e quieto. Era preciso saber usar os ouvidos; desde criança eu sempre soube usa-los.
Contou pouco da família portuguesa que lá ficou. Falou em vida e depois de morto também. Ouvi tudo com muita atenção. Fiz tudo certinho como ele indicou. Família linda e querida eu conheci e ganhei por lá.

João Menéres said...

E não tem familiares Ferreira em Viseu ?