30.1.17

COMIGO MESMO - XLIX

Mas, enquanto a minha mãe andava atrás das bactérias, o meu pai também não parava quieto. Logo em 1948, ainda Tenente, fez o curso de Estado-Maior (a funcionar em Caxias, como já referi). Depois nasci eu, em 1951. Mas isso não o impediu de, na qualidade de chefe da Repartição de Operações e Organização da Divisão NATO, fazer parte da equipa que, entre 1953 a 1955, planeou e conduziu as primeiras manobras da dita NATO realizadas em Portugal (Santa Margarida...).
Em 1958, o meu pai foi frequentar a Escola de Armas Especiais dos USA, na Alemanha, onde se especializou no emprego de armas nucleares. Uma área completamente nova para um militar português. Como se vê, a vida lá em casa era perigosa. Entre bactérias e fissão nuclear, a escolha não era fácil.
De 1959 e 1961, o meu pai frequentou a Écolle Supérieur de Guerre, em Paris, tendo coincidido com a estadia da minha mãe durante 6 meses também em Paris, nos estágios do Pasteur e Fournier. Foi nessa altura que a casa de Nova Oeiras estava a ser projectada. Foi em Fevereiro de 1962 que viemos para cá.
PS: na foto tirada na Alemanha, o meu pai é o 2ª da direita.

5 comments:

João Menéres said...

Tão parecido, que até pensei, antes de ler, Olha o Jorge !

Eduardo P.L. said...

O João Menéres tem razão. Muito parecidos.

João Menéres said...

Mas o Jorge não chegou a General...

Jorge Pinheiro said...

Eheh... nem a sargento!

João Menéres said...

E eu nem a soldado raso !...