15.3.10

THE GREAT PRETENDER - BLOGGINCANA

Ao espelho confronto-me todos os dias. Há dias em que queria ser espelho. Entrar na minha imagem. Ser espelho de mim mesmo. Ver o infinito do outro lado. Busco o meu retrato. Estranho-me. Quem é aquele homem? Cada vez menos cabelo. Podia ficar mais grisalho. Mas não, dá-lhe para cair. Parece que agora há umas “sementes” capilares de sucesso garantido (reter informação para futuros ataques de senilidade aguda). Os dentes… Bom, estado caótico. Há dois anos foram seis implantes, agora preciso de mais sete. Estou caduco e falido. E as rugas? Como se tira isto? Operações? Era só o que faltava. Nunca entrei num hospital. Cada vez mais magro. Até o nariz parece maior. Físico de faquir… O espelho não responde. O espelho não diz nada. Reflecte uma imagem que eu não reconheço. Aliás, para que estou eu preocupado com isto? Para ser mais sexy? Parecer mais novo? Para as mulheres olharem para mim? O meu ego insatisfeito não está naquele espelho. Ficou na minha mente aprisionado em “clichés” sem brilho. Jogos de sedução comigo mesmo. Mil e uma noites de ilusão. Reflexos quebrados de fantasia narcisista.

48 comments:

Chica said...

Ops, acho que fizeste uma auto imagem muito dura e severa. Não estás assim... E ainda que assim fosse, o bom é o lado que o espelho não mostra, mas temos EM e DENTRO de nós.

Muito legal tua tarefa! abração,tudo de bom,chica

Eduardo P.L said...

Jorge,

somos muito rigorosos conosco! Fique calmo, tenho uma boa notícia: os espelhos mentem!
Boa foto, que espero seja no automático para valer como AUTO-RETRATO e texto de ficção, soberbo como sempre!

Forte abraço

Lília said...

Bem, saudades deste "lamurientos " textos , com um estilo inconfundível e uma foto só boa disposição a desmentir o texto, hahaha

Agora, essa de procurar o infinito do outro lado do espelho, nunca me tinha ocorrido. Vou tentar. Mais prático do que ir a meditações estranhas, rsrs
Parabéns!

expressodalinha said...

Chica: o auto-retrato, felizmente, muda todos os dias. E eu a rir de mim próprio...

expressodalinha said...

Eduardo: estou sempre em modo automático, seja para o que fôr. Eu sei que os espelhos mentem... senão ainda era pior!

expressodalinha said...

Lília: vâ-se que não vais ao cinema. Está aí a Alice que não me deixa mentir: do outro lado do espelho é que se está bem.
Apanhaste-me na contradição do riso. Sou assim, mas também sou o contrário disso. Sou uma incoerência... felizmente.

Ana said...

Os homens são como o vinho do Porto. Por isso, ANIMO, Expresso da Linha!!!!
E não se esqueça
"São dos carecas que elas gostam mais!"
Bj

João Menéres said...

Ai a fotografia tem que ser um auto-retrato?
Inicialmente, foi o que pensei. Depois, como cumprir a tarefa (podia ser uma poesia, ou isto ou aquilo) coloquei uma fotografia e um texto.
Lá vou dar trabalho à ALICE SALLES para ela me colocar mais um auto.retrato, propriamente dito!

Quanto ao seu RETRATO, falo depois!

Ab.

Mari Amorim said...

Olá,
obrigada pela visita e comentário,mas me diga,Mas cadê a foto que descreveu?porque se for esta do post,meu amigo,você está muito bem na foto!
Boas energias,
Mari

expressodalinha said...

Ana: fico muito mais animado. Devo ter um espelho estragado. Então e a PDI?... Tenho de ouvir melhor os Jefferson Airplane.

expressodalinha said...

Mari: I'm the great prentender, não esqueça. Obrigado pelas energias.

Fernando Reis said...

A vantagem dos espelhos é que podemos escolher em quais dos lados queremos existir, negando ou incentivando o nosso outro (que só é válido para este e mais nenhum)a ser como nós aqui deste (ou daquele) lado. Isto revela-nos uma verdade que, creio, universal: pouco importa o que está deste ou daquele lado desde que vivamos ao máximo o que se encontra no "space between". (e os Jefferson Airplane são para ouvir em qualquer altura, sem ligar nada à PDI).

Nota: A culpa do alongar do discurso é toda sua, que me deixou a pensar em muita coisa.

Obrigado.

Helena Oneto said...

Troca de espelho Jorge!

João Menéres said...

!º conselho : Afaste-se de cactos!
Imagine que o automático falava e dizia: Mais atrás, Jorge!......
2º conselho : Quanto a rugas, na 6ª feira, veja as minhas. Conheço-as há décadas e em qq espelho, em qq lado e a qq hora. Remetem para muita reflexão, sabia?

Outras considerações: Os faquires são imortais. Já os superabdominados correm riscos e custa-lhes a apertar os cordões dos sapatos...

CONCLUSÂO: Uma participação original (veja a sorte que o espelho lhe deu...), um tanto inesperada para quem o não conhecesse.

Uma animação esta LINHA!

Um abraço da passagem de nível.

Mar de Bem said...

Olha, Jorge, o teu problema é teres óculos que te fazem ver muito bem, ou bem demais!!!

Porque é que com a idade vamos perdendo a vista? Para olharmos as coisas como se um véu adoçasse as linhas, como se uma névoa cobrisse a Vida com um encanto translúcido...

Por isso, meu querido, muda de óculos e vais ver que a Vida será mais doce e tu muito mais novo!!!

Fatima Cristina said...

Oi Jorge!

Seu auto-retrato nos mostra a pessoa perfeccionista que você deve sempre tentar ser. (Acertei?) Pois, a imagem que você nos descreve nos mostra um outro Jorge, bem diferente daquele que vemos nesse "espelho" do seu blog!

Beijos!

expressodalinha said...

Fernando: vou nessa do "space in between". Mal não deve fazer e pelo menos está vago. Ainda bem que deu para pensar. Eu às vezes faço coisas sem pensar... Abraço.

expressodalinha said...

Helena: achas? Eu acho que este até me favorece muito.

expressodalinha said...

João:
1 - Não é um cacto é um agave, mas claro que tem picos à mesma.
2 - Pois as rugas são memórias... algumas dispensáveis.
3 - A imortalidade deve ser uma estucha, embora à partida não recuse a ideia. Mas só com garantias.
Um abraço da passagem sem guarda.

expressodalinha said...

Mar: bons conselhos. Por isso mudei agora de óculos. Estes são progressivos, mas não sei se tocam rock.

expressodalinha said...

Fátima: sou um perfeccionista descontrolado e às um descontrolado perfeccionista. Não é só jogo de palavras. Estou em constante desconstrução, para mais à frente juntar os bocados e entrar em construção novamente... Uma canseira!

João Menéres said...

Quando falei em cactos, a ideia era só para ter cuidado com os picos!
Será uma agave americana variegata?
Nunca apreciei a botânica, embora goste muito de tudo que sejam plantas...

Essa da imortalidade com garantias não me tinha lembrado.
Lá vou eu reflectir (mais duas rugas!)...

lis said...

Vamos mudar o paradigma ? homem nao precisa espelhos ,se grisalho é charme , careca é deles que elas gostam mais ,rugas quem importa? , esbelto , porte elegante ,bom gosto ( a foto nao mente ),dentes implantados e meio sorriso sedutor, descontraido sem se preocupar com os que as mulheres pensam (?) ponto importante,rs enfim único defeito é o narcizismo imperdoável rsrs
brincadeiras à parte, parabéns Jorge pela facilidade com as palavras ,o bom humor ,e que fique tudo como está , perfeito
abraços

Coisa Frágil said...

olá,
ops...falas com teu espelho e ele t responde: pode existir beleza....aquela que aos olhos dos mortais é aparente...,porém eu vou roubar uma frase e t dizer: o essencial e invisivel aos olhos. Só se vê bem com o coração(...) (Pequeno principe).

bjus meu querido.....

Eduardo P.L said...

Jorge a psicóloga Lis foi no ponto:
"narcizismo imperdoável". Essas mulheres e essas psicólogas, veem mais do que os espelhos e as lentes do João Menéres!

Maria de Fátima said...

chiça! que chato! mas pensas que és único neste mundo?! envelhecimento bate à porta de todos, para quê tanto romance?! e depois, pelo que me parece, até nem te podes queixar muito (não te zangues, que apoenas quiz fazer de advogado do diabo e não te andar a dar palmadinhas no fofo)

expressodalinha said...

Ainda bem que não repararam no título The Great Pretender. Tudo jogos mentais, como diria a Lília.
Lis: narcisismo confessado. Porquê imperdoável?
Coisa Frágil: gostei do Pequeno Princípe. Alguém me chamava isso há muitos tempo.
Maria de Fátima: de facto não me queixo nada. É só narcisismo imperdoável!

maria antunes said...

Adorei o teu auto-retrado, se é fiel ou não isso é que eu não sei.
Beijos

Lina Faria said...

Jorge, querido
Você é um autêntico virginiano.
Falar de virginiano narciso, é pleonasmo. Nós, em geral, nos gostamos. Mas independente de signos, - quem sabe você nem seja desse sistema solar - você é, seguramente, uma pessoa muito interessante.
Autêntico, sincero e muito voltado para sí. Algo meio perto de Woddy Allen que usa as próprias mazelas para fazer graça. Isso é esperto!
Bem, Jorge, hoje quem fala de sí e é você.
Cada vez com menos tempo para a internet, confesso que vou tentar sempre dar uma passada por aqui.

Ah, obrigada por ter aceito e divulgado a idéia do auto-retrato.
Na verdade é um assunto em pauta em vários blogs e na m´dia em geral.
Deixo o link do Clicio onde o assunto virou forum, hehehe...

Adorei seu auto retrato e achei meio depreciativo o texto.
Você sabe que é mais!
bjs, lina

http://www.clicio.com.br/blog/2010/fotografo-egocentrico/

Mena G said...

Ora bolas! Desta vez atrasei-me tanto que nem cheguei a tempo de me inscrever...
Belo texto o teu!!!

belabarbosa said...

Pois eu, meu querido, só te digo, gostei muito deste teu "great pretender". Também eu tenho pensamentos semelhantes quando confrontada com a imagem que o espelho me devolve - "mas esta sou eu?" E é claro, o espelho não responde, apenas me mostra aquele eu que não reconheço. Também o meu ego insatisfeito não está naquele espelho. Está na minha mente, sim, mas não aprisionado, está livre. Livre das rugas e dos cabelos brancos, livre do peso dos anos, livre dos clichés sem brilho. Lá estou inteira, como me conheço e reconheço. Lá, sou apenas eu.

Isso de ser avô - mesmo que seja por afinidade - deve mexer muito connosco :))

Aproveito para dar as boas vindas à Matilde (é tão linda!) e desejar tudo de bom para ela. Um beijo grande para todos e as maiores felicidades.

expressodalinha said...

Maria Antunes: há quanto tempo? A criança, bem? Ainda bem que gostaste. É mais ou menos fiel, um pouco à Woody Allen, como bem diz a Lina. Beijos.

expressodalinha said...

Lina: obrigado pelo link e pelos comentários. Claro que acertou no virginiano e ainda mais no Woody Allen... e ainda não comecei a explorar a minha costela judaíca.
Quanto à ideia, desde o princípio eu e o Eduarado achámos fantástica. Beijos.

expressodalinha said...

Mena: pois, também estranhei... Obrigado pelo comentário. Já decidiram Beja?

astracan said...

Enfim... problemas! Cada um tem os seus... e falta de tempo, não é um dos teus. A efemeridade da vida tem sido, ao longo dos tempos, uma das questões centrais da humanidade. Como disse o Jim Morrison, não sei precisar quando nem onde, ninguém sái daqui vivo. Dessa não nos safamos. Se estivesse no teu lugar, se é que esta premissa é possível, e sem paternalismos, tentaria apreciar algo que tens e falta à esmagadora maioria das pessoas: tempo livre com qualidade. "Precious".

expressodalinha said...

Bela: quando apareces é em força. Confesso, mas só aqui entre nós, que me estou borrifando para as rugas, cabelo e faquir. Só os dentes é que não. Irrita-me ter de gastar uma pipa de massa para arranjar coisas que deviam durar uma eternidade. Bom, e depois quero continuar a mastigar... Tb. cá por dentro (do outro lado do espelho) continuo a ser um adolescente. Um problema e uma vantagem. Tem dias!
Obrigado pela Matilde. Continua em grande forma. Beijos.

expressodalinha said...

Astracan: um excelente conselho que tentarei seguir, sendo certo que estou a apreciar tempo livre com qualidade ao fazer este blogue e respectivos posts. A recompensa são os vossos comentários. Precious too.

Carla said...

Oi Jorge, adorei ler este post. Muito bem humorado. Independente do que te revela o teu espelho, a figura que vemos é alegre e simpaticíssima!
Um abraço

Quase Blog da Li said...

Jorge,
"tá bem na fita" ein moço?
Adorei a foto! Vc fica muito melhor sorrindo!
E o texto,
sem comentários (muita massagem para o teu ego, rsrsrs ).

"O Poeta é um fingidor."

(é, continuo a gostar mais desses óculos...)

Eduardo P.L said...

Jorge,

retomei o prazer que desde os tempos das nossas TERTÚLIAS VIRTUAIS tinha perdido, com essas coletivas! A fórmula é essa: POUCA GENTE, HOMOGENIEDADE ENTRE INSCRITOS, CONCENTRAÇÃO NO TEMPO, tanto de inscrição como de POSTAGEM! É o que penso!

expressodalinha said...

Li: ah, um ego bem massajadao... que bom. Temos ainda o problema dos óculos para resolver. Nem falei disso... esqueci-me de dizer que sou "caixa d'óculos" desde os 15 anos!

expressodalinha said...

Carla: ainda bem que acha. Vou já para o espelho...

expressodalinha said...

Eduardo: sem dúvida. Um dos segredos é a concentração no tempo das respostas. O outro, claro, é a qualidade. Quem participa nestas coisas tem de ter coisas para dizer e querer/saber dizê-las. Abraço.

Lizete Vicari said...

Tu estás ótimo amigo!
Quem tem mente ágil, não envelhece!
Um beijo!

expressodalinha said...

Pois... pois, como diz o Eduardo, mente que eu gosto. Obrigado. Beijos.

sonia a. mascaro said...

Jorge,
Texto inteligente, ágil, enxuto e com muito humor!
É a pura expressão de seu auto-retrato!
Abraços.

Sandra said...

PARABÉNS AMIGO.
FICOU SIMPLESMENTE BELO...
DESCREVEU MUITO BEM..
ACABEI POSTANDO A MINHA PARTICIPAÇÃO. MESMO NÃO TENDO CONSEGUIDO,ME INSCREVER, RESOLVIR FAZER A POSTAGEM... AGORA VOU TE ESPERAR PARA CONFEIR.
CARINHOSAMENTE NESTE ENDEREÇO
http://sandrarandrade7.blogspot.com/2010/03/nosso-auto-retrato.html
VOU TE ESPERAR LÁ,
SANDRA

angela said...

Um texto e tanto, as vezes é um espanto quando a gente se olha no espelho, as vezes agradavel surpresa.
Temos um poeta que gosto muito e vou deixar as palavras dele.
"Esse estranho que mora no espelho
Olha-me de um jeito
De quem procura recordar quem sou..."
Mario Quintana.
Abraços