21.3.11

CENTRO DE INVESTIGAÇÃO PARA O DESCONHECIDO - I

Criada em 2004, por testamento do magnata português António de Sommer Champalimaud, a Fundação Champalimaud inaugurou recentemente, bem junto à Torre de Belém, o "Centro de Investigação para o Desconhecido". Um nome que dá para tudo, mas que vai trabalhar, essencialmente, em pesquisa muito avançada das doenças cancerígenas. O edifício tem três blocos virados ao Tejo e é da autoria do arquitecto goês, Charles Correa. Com um dia de sonho e um azul lisboeta, fomos ver...

4 comments:

Li Ferreira Nhan said...

O azul sem dúvida, é lisboeta!

João Menéres said...

O exemplo de um magnata benemérito que se viu obrigado a sair do país, que foi espoliado e que regressado ao solo pátrio esqueceu as injustiças de que foi vítima e confiou em alguém que muitos outros pretenderam também crucificar.

E a obra está aí, bela e superior, para engulho de espíritos de um mundo menor.

António P. said...

...e gostaste do que viste, Jorge ?

expressodalinha said...

António: confesso que incomoda umpouco ver aquela edificação em cima do Tejo. Claro que preferia que fosse noutro local. De certa forma é abusiva aquela construção ali. E não é por o fim ser nobre que se justifica. No entanto, a peça de arquitectura é muito boa. E estando lá, não incomoda tanto. Seria bom que definissem de uma vez por todas o regime da zona ribeirinha. A confusão com o APL continua.