30.3.11

FMI - SALADA GREGA



Alguns dos ingredientes utilizados na receita grega do FMI. Nós vamos ter batatas a murro.

Sector Público
- Corte do subsídio de férias e natal para todos os empregados públicos que ganhem mais de 3000€/mês brutos. Quem ganhar menos de 3000€ vai receber 250€ pela Páscoa, 250€ no Verão e 500€ no Natal;
- Reduzir os subsídios de 8 a 20% no sector público estado e 3% nas empresas públicas
- Uniformizar todos os salários pagos pelo estado;
- Congelar todos os salários do sector público até 2014.

Sector Privado
- Chegou-se a um acordo colectivo, assinado em 15 de Julho. Não houve aumentos em 2010 e prevê-se aumentos de 1.5 a 1.7% para 2011 e 2012 – muito abaixo da inflação actual que ronda os 5.6%.
- Imposição de um imposto aplicado uma única vez às empresas que tenham tido mais de 100 000€ de lucro em 2009, que vai de 4% a 10% (em função dos resultados).

Alargar os limites pelos quais os empregadores podem despedir funcionários:
- Empresas com até 20 empregados: sem limite;
- Empresas com um número de empregados entre 20 e 150: até 6 despedimentos por mês;
- Empresas com mais de 150 empregados: até 5% dos efectivos ou 30 despedimentos por mês.
- Os empregados considerados redundantes não podem contestar o despedimento a menos que o empregador concorde.

Aumentar as contribuições para a segurança social em 3%, tanto para empregados como empregadores.

Pensões/Reformas
- Cortar os subsídios de férias e natal para todos os pensionistas que recebam mais de 2 500€/mês brutos. Aqueles que ganhem menos de 2500€ vão receber 200€ pela Páscoa, 200€ pelo Verão e 400€ no Natal;
- Cortar os subsídios de férias e natal para todos os pensionistas com menos de 60 anos, excepto para aqueles que tenham o número mínimo de anos de contribuição, tenham menos dependentes ou estudantes com menos de 24 anos a viver na mesma casa;
- Todas as pensões congeladas até 2013;
- As pensões não devem exceder 65% do rendimento auferido enquanto se trabalhava (anteriormente este número podia chegar aos 96% baseado nos últimos anos de trabalho e nos mais bem pagos); 
-  Reforma completa das condições de reforma dos militares e forças de segurança o que inclui aumentar a idade de reforma e a remoção de bónus especiais;

Impostos
- IVA: todas as taxas de IVA foram aumentadas 10%: 5 para 5.5%, 10% para 11% e 21 pra 23%;
- Imposto sobre tabaco, bebidas alcoólicas e combustíveis: imposto adicional de 10%;
- Imposto em automóveis de luxo (novos e usados): 10 a 40% baseado no valor em novo e no valor de mercado;
- Publicidade na TV: toda a publicidade na TV está sujeita a um imposto de 20% a partir de 2013;
- Imposto especial de 1% para aqueles que tenham um rendimento líquido de 100 000€ ou mais.

3 comments:

Eduardo P.L said...

O menu do FMI é sempre indigesto! Mas "regimes" alimentares em tempos de crise, são necessários!

Helena Oneto said...

O Eduardo tem sempre razão:)!

So de ler o menu fiquei enfartada(:

expressodalinha said...

E é só um aperitivo.