22.6.11

NAQUELE TEMPO

"Temos um sonho que mora/ no fundo de um quintal/Evitando que em nós cresça/ O perfume das flores do mal/ Ouçam-me esta rádio livre/Qual tambor no sertão/ Transmitindo clandestino/Bater de um coração..."

4 comments:

João Menéres said...

Estou a seguir as cenas e...as letras !

Helena Oneto said...

Eu também. Que curriculum!

Al Kantara said...

O guitarrista era canhoto ou a fotografia está ao contrário ?

expressodalinha said...

Al: pois, é bem observado...