18.11.11

VIAGAM À TERRA OCA - VII

Ao longe uma ilha verde. Árvores vetustas protegem a entrada. Um templo distante. Um templo branco. Casas que se sobrepõem numa  pureza astral. Estamos dentro ou fora? Saímos ou voltámos a entrar? Saímos sem entrar? Temos medo de ficar. Medo de não voltar. Temos receio  de voar. Temos asas que não sabemos usar. Precisamos de ajuda. Uma ajuda que não vem. Afinal a Terra Oca está vazia.

6 comments:

Eduardo P.L said...

Grande imagem. Uma solidão só! Grande texto.

Anonymous said...

completamente vazia. Por isso se chama oca. Se não, seria: "preenchida", "cheia", "recheada" ou, mesmo, "grávida".
estou curioso por ver como vais dar a volta à novela esotérica. Recheias com o Monjardino? com os monges? os servidores reais? ou connosco, meros turistas?
Antoniao

Luísa said...

Na Terra OCA, constroi-se o verde da serra, em contraste com o caiado das casas...
Um vale!

myra said...

que imagem!!!!!!!!!!!!

expressodalinha said...

Antonião: acaba sempre no turismo.

expressodalinha said...

Myra: é uma espécie de Tibete português.