12.12.11

AINDA O HINO DA ALEMANHA - UMA RESPOSTA


Das Lied der Deutschen (a Canção dos Alemães) foi escrita por August von Fallersleben, em 1841, sobre uma melodia da peça Quarteto do Imperador, composta em 1797 por Joseph Haydn. Durante o Império Alemão (1871-1918) foi hino nacional popular. Terminada a Primeira Guerra Mundial (1918), o primeiro Presidente da República de Weimar, Friedrich Ebert, elevou a Canção dos Alemães à condição de hino nacional, em 1922. Durante o Terceiro Reich (1933-1945), a primeira estrofe da canção foi usada como hino nacional. Após a queda do Terceiro Reich, a Constituição Alemã de 1949, na Alemanha Ocidental, não estabeleceu um hino nacional. Em 1952, a Canção dos Alemães foi reconhecida como hino nacional, na Alemanha Ocidental, estabelecendo-se que «Em solenidades oficiais, cantar-se-á a terceira estrofe
Os hinos representam a história de um povo, os seus anseios, os seus mitos. A Alemanha não é excepção. Situações de política internacional levam, muitas vezes, a moderar as letras, mas as palavras estão lá como um ferrete histórico. Cada povo tem o que merece. O hino é espelho.

 

 

Anonymous

14 comments:

myra said...

pois este nao merece nem isto!!!nada! nem um hino nacional- alias detesto todos os hinos, como vc. ja sabe...

João Menéres said...

Mas eu gosto do Hino à Alegria, MYRA !

byTONHO said...



"Há que hinová-los!"

Ops!
Esta foi "hinocente" sentes?!
Sorry!
Estou sendo "hinoportuno" com estes TORACIDHLOS!

:o)

Eduardo P.L said...

Bom debate EUROPEU. Não que os nossos não sejam nossas caras, mas estão fora do debate, neste momento! A bola da vez é a Alemanha na Europa!

daga said...

pronto,já "bateste"... e está historicamente certo o que dizes, mas custa-me que os alemães sejam todos avaliados por um hino escrito por alguém algures no tempo... sei muito bem que os do Norte têm a mania que são superiores (deve ser da antiga Prússia), mas também sei que (no geral)são mais honestos, directos, verdadeiros do que a maioria dos portugueses e se lhes provares logicamente que estão errados, eles assumem, enquanto que um inglês não assume que o estrangeiro esteja com a razão.
beijos

Anonymous said...

Sempre achei linda a melodia do hino alemão, agora percebo porquê ou não tivesse sido originada naquele rapaz chamado Haydn, um jeitoso. Adoro a música dele. O que se aprende neste blog...
Ortega

expressodalinha said...

Tonho: há mesmo que (h)inová-los. É urgente.

expressodalinha said...

Graça: não "bati"... foi só um toque :))Mas concordo (sem generalizar) que há uma mentalidade/tendência muito mais directa e lógica nos alemães. Mas o complexo de superioridade é o traço que ressalta. E isso não interessaria nada se não fosse um complexo activo. Nunca os alemães se livrarão do problema do holocausto. Só fazendo outro... e total.

expressodalinha said...

Eduardo: um dia dedico-me ao Brasil.

expressodalinha said...

Paulo: a música é de facto excelente.

Li Ferreira Nhan said...

Bom ver o rumo do debate.
Um debate europeu pra brasuca ver.
Falou-se tanto na Alemanha que quase pensei ter voltado ao ginásio (deusmelivrequepesadelo!!!)com aquelas freiras alemãs que jamais assumiam que estavam erradas. Mais ou menos como no episódio dos pepinos espanhóis.

daga said...

As "minhas freiras alemãs" assumiam que estavam erradas!! Lá está não é tudo igual...

Li Ferreira Nhan said...

Não mesmo.

expressodalinha said...

Cada um com suas freiras.