18.4.12

(IN)SEGURANÇA SOCIAL

Anda tudo muito preocupado com as gerações futuras. Com o efeito da crise nos nossos filhos e netos. A insegurança no emprego. A falta de expectativas. A quase certa impossibilidade de se aposentarem quando chegar a idade deles. Estamos a falar de gente que tem agora 20/30 anos. Gente que tem a obrigação de inventar novos paradigmas. De promover novos modelos sociais. Gente que não pode ficar encostada a velhos sistemas que se esgotaram. E se os novos não souberem inovar quem o pode fazer por eles? Problema grave são as pessoas com mais de 60 anos. Aí sim, não há nada a fazer. Que margem de manobra tem essa gente? Nenhuma! Descontámos durante uma vida 1/4 do vencimento e agora não há dinheiro?! Foi um contrato que fizémos. Um contrato de segurança social. O Estado funcionou como uma companhia de seguros. Uma companhia que agora não quer pagar. Não é admissível o "plafonamento". Não é admissível o aumento da idade para quem já estava em condições. Não é admissível o aumento de impostos para os aposentados. Um estado de direito não pode quebrar contratos, a não ser que já esteja na bancarrota. A segurança social está a tornar-se insegurança social.

15 comments:

João Menéres said...

E quem nos foi empurrando para esta situação de pré-bancarrota com o Zé a aplaudir de pé ?

daga said...

Não é admissível, dizes bem!! mas é a realidade :p
se não forem os jovens a fazer qq coisa pelo seu futuro, nós dificilmente o conseguiremos por eles!

expressodalinha said...

Graça: suspeito que eles ainda têm de fazer por nós.
Et: tens andado desaparecida. Tudo bem?

expressodalinha said...

João: ninguém empurrou. A sustentabilidade do sistema (cá e em todo o mundo ocidental) acentou num crescimento dos anos 60. A partir de 73 (choque petrolífero) começou a bronca. A questão é que devia ser o último sector a ser tocado. É de uma enorme insensibilidade social. São os "liberais"! Até já gosto da Ferreira Leite...

João Menéres said...

Não foi só o petróleo, Jorge !...
Houve desmandos por cá, até dizer CHEGA !
Veja, como um dos últimos exemplos, o que se passou com o Parque Escolar.
E , agora, a ex-ministra ainda vem dizer que FOI UMA FESTA !Posso contar alguns casos de Escolas que estavam a funcionar em perfeitas condições ( tinham sido remodeladas há poucos anos ) e que foram praticamente arrasadas para se erguerem novos edifícios. Objectivo : SEREM INAUGURADAS !

expressodalinha said...

Sim, sim, claro... Mas estou a falar de contratos biunívocos (nós e os Estado). Pagamos e agora recebemos menos ou nada. Uma camada de pessoas extremamente fragilizada. A expectativa de uma vida. Está mal. Muito mal. É cobardia política de um governo de contabilistas insensíveis e arrogante que nos vão tirar de uma ruína para outra ainda maior.

Fatyly said...

e o que fizeram a tanto dinheiro ao longo de décadas? Eu paguei e exijo a que tenho direito e porque muito se abotoaram e não foram punidos que vão para o raio que os parta, sobretudo estes que agora querem fazer tudo em cima do joelho, sem pensarem que amanhã podem estar em pior situação.

Não gosto de Ferreira Leite, mas no debate de ontem na Sic Notícias tive que tirar-lhe o meu chapeú.

Estes Passos e companhia e muitos putos que nunca trabalharam no duro, andam na política a fazer o quê? O povo nomeou que entendeu numa "esperança" e no poleiro nomeiam e fazem o que lhes bem apetece?

São os jovens que têm de mudar o rumo dos acontecimentos...porque a Segurança Social e segundo palavras qe ouvi ontem, está assegurada até 2030, claro agora um período um pouco mais conturbado...mas o Estado que tem feito pela Economia? NADA, NADA, NADA e querem deitar areia para os olhos de quem tem acatado as ordens, que têm vontade de vamos fazer sacrifícios...mas para quê, onde é aplicado? Não dizem nada e esta última de PPC sobre a antecipação das reformas prova bem o que disse.
Há insegurança social a todos os níveis e a roubalheira é tirar aos pobres para dar aos ricos e a isto acrescer a impunidade política e criminal! Lamento os jovens que estão nas JSD's, coitados idolatram quem um dia lhes arranjará um tacho...mas trabalhar tá quieto!

Ai expressolinha ainda serão os velhos, sim com 60 já o somos que vão endireitar coisa e enfiar uns tabefes aos putos!!!

banzai said...

aqui onde a expectativa de vida é longeva, a previdência está revendo leis, planos e medidas para daqui há 15, 20 anos. Mas pelo que vejo da nova geração daqui, não sei o que isso vai se tornar.
Eu também tenho arrepios só de pensar no futuro próximo.
Abraço
madoka

João Menéres said...

FATYLY :


Não há trabalho para muitos, porque há
MUITO TRABALHO PARA UNS ELEITOS ( em todas as actividades ).
E isso não é de agora, do PPC ( que não teve o meu voto, embora eu quisesse que o do inglês t´cnico levasse uma tareia ! ).
Eu, como há MUITO, passei dos 60, não vou endireitar nada.
Vivo noninho do GRIFO PLANANTE e não tenho tempo para ve a TV. Só se fôr um jogoda bola entre equipas que possam proporcionar um belojogo de futebol, o que tem faltado também...

Um beijo para ti e um abraço para a lucidez do Jorge.

expressodalinha said...

O grande problema, agora, é a França. A campanha foi totalmente hipócrita. Nenhum candidadto falou de números e até alguns fizeram promessas de aumentar despesa. Dentro de 15 dias a França pode cair. Aí é o fim da Europa. Portugal teve a lucidez de pedir a intervenção a tempo. E a recuperação do deficite é fácil. Vamos ver é se outros não desajudam. A Espanha já está arrumada. A França é um buraco negro... No meio disto tudo, a nossa aposentação fica aonde?

expressodalinha said...

Madoka: mas isso aqui já foi feito precisamente nessa óptica, salvo erro em 2003. Penso q sabe que estamos intervencionados pelo FMI. A questão é cortar à bruta nas despesas. Mas cortar nesta zona é imoral.

myra said...

està muito ruim por todos os lados....

xunandinha said...

Estamos na banca rota mas não foi o trabalhador que a fez ,foram os políticos e toda a cambada do governo independente da cor,estamos nas lonas mas continua tudo a usufruir carros do estado telefones, viagens, estadias etc, porque não fazem como na Suécia?beijos

2 ZEROS said...

Não está a tornar-se "insegurança", já é insegurança.

Porque será que quando vemos as coisas a longo prazo dizem que somos derrotistas... que não podemos ser assim..., etc... etc... e quando já estão dentro delas... lamentam-se...?

expressodalinha said...

É bem verdade. Uma enorme incapacidade de gerir e de prever, associada a uma demagogia eleitoralista e a uma corrupção impune. Estes governos não têm soluções. Só têm impressões.