25.6.12

AQUILINO RIBEIRO - AS TERRAS DO DEMO



Estas eram as Terras do Demo. Agrestes e isoladas. Geladas no Inverno, escaldantes no Verão. Aquilino nasce no Carregal (concelho de Sernancelhe) em 13 de Setembro de 1885. A linguagem de Aquilino Ribeiro caracteriza-se fundamentalmente por uma excepcional riqueza lexicológica e pelo uso de construções frásicas de raiz popular, cheias de provincianismos. Aquilino foi sobretudo um estilista e, por isso, a sua linguagem vernácula e sem estrangeirismos é arejada, frequentemente condimentada nos diálogos com expressões entre grotescas e satíricas. Num número considerável de obras, Aquilino reflecte, ainda que distorcidas pela imaginação, cenas da sua vida: o convívio com as gentes do campo, a educação ministrada pelos sacerdotes, as conspirações políticas, as fugas rocambolescas e os exílios. Até 1932, ano em que fixa residência na Cruz Quebrada (concelho de Oeiras), todos os ambientes, contextos e personagens que Aquilino cria, remetem para a sua querida Beira natal. O Malhadinhas, Andam Faunos pelos Bosques e Terras do Demo constituem o melhor exemplo desta situação. Fomos prestar-lhe homenagem.

4 comments:

João Menéres said...

Como souum iletrado, apor vezes a leitura não é assim tão fácil para mim.
Será do recurso aos provincianismos beirões ?
Dou-me bem com a linguagem atlântica, e se fôr a das peixeiras, melhor ainda.

Um abraço., Jorge.

expressodalinha said...

São as Terras do Demo...

Li Ferreira Nhan said...

Olha que gostava de ler as escritas do Aquilino...

myra said...

sempre nos mostras belezas!