16.7.12

JOANA VASCONCELOS NO PALÁCIO DE VERSAILLES



Ver mais em www.vasconcelosversailles.com/

20 comments:

Eduardo P.L said...

GRANDE Joana!

myra said...

grande, sim , e assim alegra este Versailles....

Anonymous said...

Há beleza nessa "arte"? Não a vejo e, na minha humilde opinião, só "emporcalhou" o Palácio. Talvez tenha valido apenas pelo contraste entre o belo e o medonho ...

expressodalinha said...

Hoje em dia os contrastes estão para a arte como o azeite e o petróleo.

expressodalinha said...

Experimentem temperar o bacalhau com gasolina 95... se calhar não é mau.

Paulo said...

É preciso ser muito careta para não apreciar as intervenções da Joana Vasconcelos. Na minha humilde opinião é claro!

Anonymous said...

Eu não sou careta ...
Meus olhos ... quiçá ...
Posso não apreciar a "arte" (com "a" microscópico) de Joana Vasconcelos?
Posso? Ou é proibido?
Que sujeira andou pelo Palácio!!!
"Inda" bem que já limparam .. ou não?

Que mania têm de andarem em rebanhos ... Deve ser CHIC dizer-se gostar de tal "artista" (outra vez com "a" microscópico.

Este Paulo deve ser frequentador assíduo daquelas praias ... só pode ...

Li Ferreira Nhan said...

Obrigada pela partilha do site Jorge!
Os delfins da Joana tem tudo a ver com a nobreza francesa; estão onde devem estar sempre! É a cara de Versailles!
Os corações e toda a série do Chá e do Vinho primam pelo contraste da grandiosidade e da leveza! Champagne em azul no lago é fantástica!
A Joana é incrível mesmo!

expressodalinha said...

AS OPINIÕES DIVIDEM-SE... FELIZMENTE.

Li Ferreira Nhan said...

Ah, faltou registrar que o site apresenta um making of de todo o trabalho que é o máximo; difícil ver esses registros de grandes mostras! (só clicar nas imagens).

João Menéres said...

Há muito queaprecio a Joana Vasconcelos !

E ainda não tinha exposto no Palácio de Versailles !

Já postei no meu blogue uma fotografia que fiz do SAPATINHO DA CINDERELA e que continuo sem ver outra feita do mesmo ângulo.

Ainda bem, que mais uma ARTISTA PORTUGUESA faz sucesso num país civilizado !

expressodalinha said...

Obrigado pela achega, Li.

Paulo said...

Caro(a) anónimo careta
Quem costumava emporcalhar Versailles era a própria corte de Luis XIV: as damas e os cavaleiros ataviados faziam xixi pelas escadas abaixo e cócó nos corredores.
Por acaso até nem gosto de praia.

Eduardo P.L said...

Jorge,

que saudade eu estava desses comentários irados e totalmente descabidos! Como pode nos dias de hoje uma pessoa dizer e pior ESCREVER, o que escreveu, ainda que anonimamente, claro!!!. A falta de cultura, falta de educação visual, falta de conhecimento da arte, faz das pessoas nessas condições, completamente alienadas. É como um ETE recém chegado de Marte, tentando definir o que lhe parece belo ou não. Sem conhecimento e parâmetro dos fatos, não há como opinar. Não há como se distinguir o feio do belo, o ruim do bom, a boa arte, de todos os tempos!O gosto pessoal é ditado pelo conhecimento e informação. O ignorante intuitivo pode gostar do bom, por mero acaso, mas sem nenhuma consistência cultural. E esse parece ser o caso desse Anonimo. Claro que eu não perderia a oportunidade de defender o trabalho da grande JOANA, e me manifestar contra os comentários, inoportunos, do neófito anônimo ! Direito de pensar e dizer o que pensa, todo mundo tem, mas isso também nos da o direito de dizer o que pensamos dele!

João Menéres said...

Bravo, Eduardo !

expressodalinha said...

Eu, francamente, tinha algumas reservas ao trabalho da Joana. Talvez por um excessivo pendor "folclórico"... não sei. Havia ali qq coisa que me causava estranheza. Até que percebi que essa estranheza que eu sentia era precisamente a genialidade da autora.

expressodalinha said...

Ah, e já agora confirmo que o Paulo não gosta de praia :))

Paulo said...

Eu (geralmente) emociono-me com as criações da J. Vasconcelos. Além disso acho que tem a vantagem (e o talento)de ser pop, isto é, pratica a criação artística sem ter necessidade de citar Deleuze ou Derrida para a sustentar. Não precisa.

expressodalinha said...

Mais do que pop é extralúcido.

Claire said...

De todo este mediatismo o que mais aprecio são os olhares lambedores debruçados sobre as panelinhas.