29.8.12

COISAS DA TERRA




12 comments:

João Menéres said...

Tudo ( ou quase tudo ) que o povo faz espontaneamente é de uma beleza intemporal.

Um abraço de um doente ortopédico...

João Menéres said...

Pelos vistos, o ANÓNIMO não é o Conde Falcão, Jorge !
Ele tinha-me prometido visitar o seu blogue sobre o Sardoal...

Fatyly said...

Desculpa a minha ignorância, que objecto é o da 2ª foto?

Anonymous said...

Tudo isto representa o passado e é tão emotivo, quando esse passado ainda percorre as veias de alguém que o vê no presente!

-A bilha de barro que, segundo dizem, guardava a fresquidão da água, tal qual da nascente de onde viera;

-A ceira, algumas vezes fabricada em casa; outras, adquirida numa feira para transportar o que era necessário, sobretudo as pinhas do pinhal para aquecimento no Inverno;

-O pote parece ser feito de cortiça

Fotografias com um fundo destes, com os objectos no seu próprio "habitat",dizem mais de um passado do que num museu etnográfico.

Anónimo da Sertã

expressodalinha said...

Agradeço as explicações. Fico com uma dúvida: a foto debaixo não é uma colmeia?

João Menéres said...

Lá que parece, parece.

Jorge : Já sei colocar o SOM !

expressodalinha said...

BOA !!!

myra said...

O artesanato é ARTE!!!!!!
lindas!!!!
beijos, Jorge estou muito triste minha cunhada e amiga, acaba de ir.se...

Anonymous said...

Se o diz, é porque é mesmo uma colmeia!

Como as colmeias de cortiça que já vi
eram rectangulares... daí que, aquela
forma e, não perceber o que continha no interior, me fizesse arriscar e mal...

Anónimo da Sertã

expressodalinha said...

PENSO QUE É COLMEIA, DE FACTO. COLMEIA DE CORTIÇA.

Luísa said...

Tudo fantasticamente belo, num post muito português!
O que é nacional é bom!!!

Beijooooooo

expressodalinha said...

:))