26.2.13

CARTEIRA PROFISSIONAL DE BLOGUEIRO

Uma coisa que me enerva é não ter identificação como jornalista. Não me deixarem andar por ai a fotografar tudo o que mexe. Entrevistar figuras públicas. Entrar em recintos de admissão exclusiva. Aceder a declarações de tipo importantes. Estar nas conferências de imprensa. Tenho um blogue há quase 6 anos e estou muito activo no FB. Poderá não ter muito leitores, mas as pasquins de província também não. Têm tiragem baixa. Qual é a diferença? Nós fazemos opinião. Convocamos manifs. Colocamos um pessoa nos píncaros ou a rebaixamos para debaixo do tapete. Já somos citados nos jornais e telejornais. Os blogueiros de todo o mundo deviam exigir uma carteira profissional de jornalista. Nós somos a comunicação do futuro. Exigem, lutem, organizem-se, façam concentrações no Parlamento. Um blogueiro sem cartão é como um caçador sem arma.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                

12 comments:

João Menéres said...

VAMOS A ISSO !

Eduardo P.L. said...

Jorge,

a arma do blogueiro é o veículo. Jornalistas de carteirinha dependem dos órgãos de imprensa a quem são subordinados. Nós blogueiros somos livre atiradores. Somos independentes. Somos donos do veículo ( blog ) e das ideias. Somos livres para usar a palavra ou imagem como bem quisermos. A favor ou contra qualquer coisa ou pessoa. Somos guerrilheiros sociais. A carteirinha só viria criar burocracia. Sem ela não há como nos controlar. O fato de não estarmos previamente identificados nos facilita a tarefa de investigar, transitar, fotografar. Passamos por simples turistas. E somos na verdade jornalistas.

mauro m said...

Como disse Groucho Marx : " Não entro para um clube que me aceite como sócio " .

Portanto inventemos um "clube", uma ONG, a CJBI : Comunidade Jornalística Blogueira Independente,siglas impressionam as pessoas. Com sede virtual, por ex, numa praia do Estreito de Magalhães. . Inventemos também uma carteirinha e vamos nos apresentar nos grandes eventos e entrevistas coletivas ( de terno e gravata, claro ). .

Li Ferreira Nhan said...

Nem pensar!!!

Li Ferreira Nhan said...

Mauro, levei essa máxima do Groucho Marx!

Anonymous said...



Tanto no jornalismo formal, com profissionais com curso, diploma e caretirinha, como no dito informal, jornalismo feito na web, via blogues ou redes sociais, etc, há uns de muita qualidade. Há muito lixo também. E como há pessoas que adoram complicar!!! E ainda há aqueles que gostam tanto de rebanhos!!!

"Tô" fora!

Branca said...

Ahahah! Jorge, esta deve ser mais uma das tuas provocações.
Pica, pica, para fazer saltar as opiniões.
Alguns bem mereciam o tal cartão, mas outros...
Já tenho ouvido tantos ditos "profissionais" assassinar a língua, imagina agora se distribuiam assim cartões a torto e a direito. Depois, se o Facebook te exige uma identificação mais ou menos correcta, ou pelo menos o teu nome (sei a quem já fecharam página mal abriu, por não reunir essas condições), não estou a ver jornalistas com nicknames a inventar todo o tipo de barbaridades impunemente e sem nunca darem a cara.
Seria bom se os cartões pudessem ficar por quem os merece e realmente escreve e fotografa bem.
Eu dava-te uma carteira profissional, não é por acaso que venho por aqui fazer umas visitinhas, mesmo depois de quase ter deixado esta vida.

Beijos

Luísa said...

O meu melhor cartão são as palavras contadas no "um olhar de perto"!
beijinhos

João Menéres said...

O Eduardo que me desculpe, mas estou com o Jorge !
Dado que em Portugal tanto implicam com quem não tem um cartão profissional, a idéia do MAURO é de aplaudir !
Que seja criado um clube com as variantes Escritor,Fotógrafo e outras de que agora não me vêm à memória, com sede em NENHURES !
Claro que o retratinho real será indispensável !
Força, JORGE !!!

Teresa said...

Eu gosto de ser livre e independente nas minhas opiniões. Mas uma associação com sede numa praia do Estreito de Magalhães (ou outro qualquer!) parece-me fantástica!

expressodalinha said...

Tb concordo. No Magalhães é que é bom!

myra said...

livre sempre, mas continuo sem entnder mto bem...