27.3.13

A MORTE DA LAMPREIA - IV




10 comments:

Fatyly said...

Li tudo o que escreveste e desconhecia como é tratada depois de apanhada.

Se visse ao vivo...não sei se conseguiria comer.

Luísa said...

Na! Na!

E a tripa a ser retirada inteirinha, depois de um golpe dado perto da boca-ventosa e outro no rabo? Só depois é que se corta às postas...
Se a tripa não sai inteira, deixa um sabor estranho!!!!
Assim se prepara a lampreia no Alto Minho!

António P. said...

Como grande apreciador de lampreia, a minha Mãe fazia um arroz excelente, estou a gostar desta tua série, Jorge.
Abraço

expressodalinha said...

Luísa: nem discuto o Minho. Há coisas boas e más em todo o lado.Se o produto fôr bom, o resto é arte da culinária. A melhor que comi, indiscutivelmente, foi em Lisboa. Qt a tirar a tripa, parece ser o que estão a fazer, mas quem sou eu...

daga said...

lá está o triste final...cheio de sangue e facadas...

expressodalinha said...

Isto acaba sempre tudo à facada.

Maria de Fátima said...

se aqui houvesse o like do FB, teria colocado um ali no expressodalinha, que realmente sejam cabras, galinhas ou enguias é mesmo assim que acaba...haja menino para degustá-las num prato bem ensanguentado

Eduardo P.L. said...

E estamos chegando na melhor parte dessa série: no prato!

Mena G said...

Como de tudo desde que me saiba bem. :)

expressodalinha said...

Uma excelente filosofia, Mena.