2.3.13

UMA CASA NO CAMPO - II

Esta será a quarta biografia que faço. Vou aprendendo e tentando melhorar. É um trabalho hercúleo. São horas de entrevistas e de transcrições. Selecção de factos relevantes. Pesquisa. Deslocações a locais. Contextualização histórica, política e económica... Numa biografia são afectos e sentimentos que se contam. Uma construção narrativa factual, mas devidamente romanceada. Temos de entrar bem dentro da intimidade das pessoas biografadas. Fazer as perguntas certas. Insistir. Persistir. Fazer dizer o que elas não querem. Um jogo quase psicológico. Um divã freudiano. Temos de ser discretos. Temos de saber contar e não contar. Uma biografia é um retrato escrito. Um retrato do tempo. Um tempo que é uma vida. É uma escrita muito exigente, muito disciplinada e de grande responsabilidade. Aqui não há lugar a inventar ou fantasiar. Perguntarão porque me interessa esse estilo? Porque me permite viver outras vidas, porque me permite penetrar histórias reais, porque me permite investigar assuntos que desconheço e, acima de tudo, porque me permite eternizar essas vidas. Amanhã netos que hoje estão no berço terão dos avós uma imagem que ultrapassa a sépia de um álbum de retratos. Verão a substância e não apenas a forma.

5 comments:

Eduardo P.L. said...

Que legal!!! Desejo muito sucesso. Não conheço biógrafo melhor, já te disse várias vezes!

Luísa said...

Boa!
Essências de uma vida num traço de interpretações depositadas em papel!
Hum! Muito interessante! Haverá melhor história contada que a daqueles que estimamos?
Votos de um excelente trabalho!

João Menéres said...

E vai papando uns almoços num sítio bem
agradável !.....e perto de Lisboa, facto a considerar hoje em dia.

Mena G said...

Já a espero... :) Que tu és único a retratar pessoas em palavras.

expressodalinha said...

É bondade vossa. Obrigado.