14.5.13

FREE TO STAY - A NOVA BIOGRAFIA

Esta é uma parte da herdade Monte da Ribeira, no concelho de Cuba, Alentejo. Andei por lá dois dias a fazer entrevitas para a biografia que estou a fazer. Esta herdade foi ocupada pela Cooperativa "Otelo Saraiva de Carvalho", em Setembro de 1975, no contexto da Reforma Agrária. Ela é uma peça central da história que estou a escrever. A ocupação, a desocupação, o momento politíco, as peripécias judiciais, os sentimentos, os perigos... Tomar conhecimento com locais e pessoas que estiveram directamente implicados e ouvir as suas versões dos acontecimentos, é sair da abstracção e passar à realidade. Fiz sete entrevistas. Trabalho insano. Algumas ao ar livre. Outra numa tasca, bebericando copos de tinto. As mais extraordinárias foram com um "camarada" de uma dessas heróicas Cooperativas. Em pé num corredor cheio de passadeiras sobrepostas, sobrepujados por um tapete tipo peluche com a ascenção da Virgem embutida a cores, a televisão aos gritos lá no fundo da casa e ele de boca cheia, merendando um pão com chouriço. A boa vontade do homem era mínima. Outra foi com a mulher do pastor já falecido. Uma mulher expansiva que se foi arranjar para me receber. E recebeu-me na sala do cabeleiro que explora, bem no Largo Central do Alvito, no meio de secadores e escovas, com um cheiro a brushing de cabelo entranhado. Aprendi que a Reforma Agrária, decorridos estes anos todos, ainda está bem presente na população. Tão presente que falam a custo. Há muitos traumas e desilusões. Muita gente que ganhou e muita mais gente que perdeu. Quem perdeu tem raiva dos "chico-espertos". Os "chico-espertos" não querem falar disso. Agora é transformar as transcrições em história e a história em literatura.

14 comments:

Maria de Fátima said...

" Em pé num corredor cheio de passadeiras sobrepostas, sobrepujados por um tapete tipo peluche com a ascenção da Virgem embutida a cores, a televisão aos gritos lá no fundo da casa e ele de boca cheia, merendando um pão com chouriço. "
lindo naco de literatura que até cheiro envia e mai-lo enrolar deglutido do chóriço enrolado no panito...um mimo, Jorge

myra said...

outro BOM livro!!!!

Eduardo P.L. said...

A Maria de Fátima tem razão. Só a apresentação do tema do livro já esta impregnada de histótia, realidade e sobre tudo boa literatura. Aguardo mais essa biografia.

João Menéres said...

Estou convicto que com este seu livro aprenderei MUITO !
Aplaudo a sua iniciativa, claramente, pois vai contar a HISTÓRIA !

Mena G said...

E já estou de "chouriço na boca"!!!

expressodalinha said...

Salvo seja...

Li Ferreira Nhan said...

A Fátima bem disse e a Mena muito bem arrematou ! Parabéns!

xunandinha said...

linda paisagem que as terras voltem aos seus donos

Luis Mendes said...

Jorge, que venha de expresso para não se atrasar ... e não te esqueças do copo de três e do pão com chouriço no lançamento do diti cujo!

expressodalinha said...

Só lá para Dezembro... que é qd o chouriço sabe melhor.

Fatyly said...

é bom, muito bom que vão aparecendo "escritores" como tu para relatarem a realidade de muita coisa que ocorreram em Portugal mas que "fartos e anafados e aldrabões feito em melões" tentam apagar da história. Pois é...e aguardo pelo livro que de certeza vai dar que falar!!!
Não desistas!

daga said...

acho extremamente importante que contes a verdade sobre essa época que muitos embelezaram com ideologias favoráveis, mas que nem sempre foi realmente boa para os que não eram "chico-espertos" (lá está)
é terrível aproveitar-se da ingenuidade do povo para se prometer o que não se tem intenções de cumprir!

myra said...

espero espero espero:)))

expressodalinha said...

Vamos ver se consigo...