1.11.14

CRÓNICAS DI CHICHI E DO COCO - I


 Os bens dividem-se em raros e não raros. O ouro, por exemplo, é um bem raro. Mas há os bens raros relativos. Aqueles que sendo banais podem, em determinadas circunstâncias de escassez, tornar-se raros. É o caso da foto. Imaginem-se com uma valente cólica. Correm para o WC, sem ver nada à frente. Aliviados procuram o rolo de papel ... mas ele não está lá! Que fazer? Vão pedir ao empregado com as calças na mão?... E reparem que aqui não há um mero esquecimento. Há uma vontade clara de inibir os "senhores", já que eles entopem a sanita! A coisa assume assim proporções de vingança e de perseguição sexual inconstitucional. O sexo feminino ou não tem cólicas ou não se limpa ou não entope a sanita. Recomendo que passem a andar com papel no bolso de trás das calças. A vida está difícil!

7 comments:

Eduardo P.L. said...

Jorge, disso eu entendo. Já passei por situações semelhantes. Usei papel no bolso muito tempo. Hoje, como um experiente usuário desses estabelecimentos precavidos, a primeira coisa que procuro é saber se tem papel, e se o tem, em quantidade suficiente. Ser distraído nessa hora pode ser fatal.

João Menéres said...

Nunca passei por tal situação.
Procuro não usar a sanita alheia para evacuar.

Jorge Pinheiro said...

Eu podia fazer um livro sobre cenas de casas de banho públicas. Já me aconteceu de tudo... Vendo bem, talvez faça: Contos do Chichi e Cócó (parece um bom nome).

João Menéres said...

Sucesso garantido nas bancas, Jorge !

daga said...

tantas aventuras em casas de banho ??

Fatyly said...

Infelizmente com a "merda" que os utilizadores deixam tudo é feito de maneira a evitar. Refila-se porque deveriam ter, mas quem as usa não se lembra e respeita quem tem de limpar a trampa.

Raramente uso um WC público e por vezes é triste...acabam de limpar e logo a seguir deixam um rastro que me dá uma vontade de ir focinho.

Ando sempre com papel, sempre e sobretudo também devido aos netos, nunca se sabe...mas respeito e muito o trabalho árduo de quem limpa.

Se eu tivesse um estabelecimento juro-te que mandava esperar e se visse "registos na sanita, lavatório ou chão" pedia que fossem deixar como os encontrou.

Poderias acrescentar o que é gamado, uiiiii desde o papel, aos blocos de cheiros, e até a vassoura para limpar a sanita...desaparece tudo.

Enfim!

Jorge Pinheiro said...

Fora os números de telemóvel para encontros de merda :))