12.12.16

COMIGO MESMO - X


A tia Natália, irmã mais nova do meu pai, era uma segunda mãe para mim. Casou com o tio Amadeu e passou também a ser mãe dos meus primos Luís e Teresa. O tio Amadeu era amigo de patuscadas do meu avô Domingos. Conheceu a tia Natália no casamento dos meus pais, em 1947. Eles casaram em 1953 e foram viver para Santarém. A tia enchia-me de mimos e dava-me beijos repenicados que ficavam a soar nos ouvidos mesmo depois de ela se ter ido embora há muito tempo. Estava sempre a contar aquela histórica verídica que me ficou agarrada ao ego pela vida fora. Vestido de novo, penteado e muito engomadinho, não tendo espelho ou gente a quem me exibir, interrogava enfaticamente uma galinha que, sabe-se lá porquê, andava lá por casa: “estou bonito galinha?”.

2 comments:

João Menéres said...

Até às galinhas é conveniente não desagradar !

Eduardo P.L. said...

Bem lembradas recordações...