29.4.11

ELEIÇÕES À PORTA - IV

Enquanto isso, o líder da oposição diz que aumenta impostos, depois que baixa taxas, que se acabam as obras públicas, que acabam subsídios... afinal não é bem assim, se calhar mais vale baixar impostos, levantar taxas... e porque não acabar com as reformas? Obras públicas é que nunca. Mas porque não? A saúde é que é um problema, ou será a falta dela? Não sabe, não diz, depois se vê. O povo anda meio anestesiado e só espera, humildemente, que o FMI tome rapidamente conta disto. Depois podemos continuar, alegremente, a ir jantar fora e passar férias às Maldivas...

7 comments:

daga said...

o FMI é como o D. Sebastião ;) é preciso que resolva os problemas todos que Portugal criou!
(lindo boneco :)
beijo

João Menéres said...

Qual o destino para um povo que não se governa, nem se deixa governar ?
A resposta parece óbvia.
Mas não a direi a ninguém.

expressodalinha said...

A glória?...

João Menéres said...

Esqueci-me de referir que esta sua pinha é de alguém com caco !

Um abraço.

Li Ferreira Nhan said...

Olhar seletivo
olhar atento
olhar criativo.
Mente criativa!
Criar nas coisas simples.
Adoro!


(Jorge, desculpa não comentar os textos; as imagens roubam a cena e tb não ando com paciência a políticos)

expressodalinha said...

Li: por isso tb ponho as imagens. A simpiose é que é importa. Humor extralúcido.

Silvares said...

Resumindo, estamos entregues à bicharada!?