18.2.12

PASSATEMPO VARAIS - AS RESPOSTAS II


Aqui estão as nove últimas respostas do Oráculo da Linha. Estava difícil devido ao clima de Carnaval. Espero que se tenham divertido com esta brincadeira e, acima de tudo, desculpem qualquer coisinha…

Tonho – Varal 2 e 7
Uma leitura antagónica. O bucolismo e o modernismo. Personalidade complexa em permanente auto-análise. Espírito arguto e crítico. Visualização introvertida do mundo. Uma enorme vontade de sair de si.

Daga – Varal 1
Um varal ao vento. Andar à bolina. Dominar o mar. Enfrentar o vento. Mesmo amarrado não há porto seguro. A vida é uma tempestade. Mais vale saber navegar do que morrer no cais. Um estoicismo que faz da vida um descobrimento.

Luísa – Varal 1
Atenção e perspicácia. Sensibilidade e poesia. Uma aparente fragilidade feita de respeito vivencial. O mar é bom no regresso. A segurança de chegar depois da aventura cumprida. O conforto do lar nos detalhes quotidianos. E lá no alto o Sol brilha numa certeza divina.

Fátima Cristina – Varal 3
Verão. Sensação única de estar. O sabor a sal. A liberdade do calor. Toalhas coloridas, símbolos da infância perdida. Necessidade de azul tropical. Quem nunca viveu ao Sol não entende o chamamento da pele.

Helena – Varal 6
Uma visão onírica na distância e na saudade. A “casa portuguesa” como redenção migratória. A necessidade de voltar às raízes. A um “paraíso perdido” mitificado no fado de além-mar. A vida liberta cheiros e cores, medos e esperanças. A vida são escadas que sobem e descem nos bairros de Lisboa.

Misabel Machado – Varal 9
As meias coloridas… sempre a andar. Uma visão “pop” da vida. Uma vida sem castanho. Vibrante e de paladar intenso. Os dissabores fazem parte. É preciso seguir em frente que a vida não espera nas curvas do destino.

Selena – Varal 2
Uma paisagem sem vento. Cheiro a terra molhada. Bucolismo em estado puro. Os aventais como nota dissonante, quiçá intrigante. Uma personalidade que se interroga. Que insiste em se desvendar. Que persiste em se interiorizar. Uma incerteza de ser numa busca inquietante.

Paula – Varal 5
Uma vontade de viver sem limites. Cores fortes que se liquefazem numa tela sensitiva. Personalidade extrovertida e abrangente. As coisas são simples. Importa descomplicar. E a vida corre num enquadramento perfeito, como o Sol que brilha nos varais luminosos do hemisfério sul.

Eduardo – Varal 2
Uma perspectiva iconográfica da vida. Uma personalidade que se desdobra em múltiplos avatares. Heterónimos virtuais de uma confrontação pessoal. Os aventais brancos transmitem o absurdo na paisagem bucólica. Uma desconstrução ideográfica da realidade impressionista. Uma existência em que a dúvida é uma certeza.

Mais um desenho by Tonho. Uma colaboração espontânea que muito agradeço.

9 comments:

daga said...

Bem, Jorge, só te faltava mesmo esta faceta de oráculo ;) não paras de me surpreender! Estão muito interessantes as respostas do oráculo... e lindos os desenhos do Tonho :))
beijos

Eduardo P.L said...

Uma grande REVELAÇÃO!
Grande PEQUENA COLETIVA!
Sucesso!

byTONHO said...



Este "BRUXO" é fera!

:o)

Anonymous said...

Gostei muito desta mini-colectiva e fico à espera de mais ...

Luísa said...

Nossa! Nossa! Assim, você me descobre...
A tistinha já sorri ao ler o oráculo.Previsível!!!
Beijinho terno

Anonymous said...

JORGE

Também foi do baú que veio toda










esta inspiração oracular ?


Sionceros parabéns pelas "leituras" que fez. Daqueles participantes que conheço, ou daqueles que QUASE conheço, acho que fez uma radiografia PERFEITA !

Um abraço amigo.

João Menéres

Selena Sartorelo said...

Olá Jorge,

Não me encontrei aqui qual foi a tua escolha. Qual seria?

Beijos.

expressodalinha said...

Selena: a minha... como? Não posso ser oráculo de mim próprio.

myra said...

:))