3.3.12

TOMAR - XX - DOCES CONVENTUAIS


Trazido do Médio Oriente em meados do século xi, o açúcar conheceu o seu apogeu a partir do século xv em Portugal. Primeiramente, era um produto medicinal de reputação e virtudes raras. Rapidamente se deu o seu sucesso entre os reis e gente rica. Os conventos e mosteiros foram centros de criação gastronómica privilegiados. Locais onde a fé se consolidava e a vontade de comer também. Eram frequentes os banquetes e festas nos mosteiros, onde reis e nobreza se juntavam em grandes banquetes. Assim, quanto mais se rezava mais se comia e mais entusiasmo se gerava à volta da mesa. As boas esmolas deixadas nestes banquetes permitiram um maior alcance de alimentos diferentes e raros. E tudo crescia... até as barrigas. A boa cozinha teve tudo para vingar nos mosteiros e daí o seu alastramento por todo o país. O empenho das noviças em preparar pratos refinados e exigentes, estava na relação directa das esmolas recebidas para o convento. A junção de açúcar e gemas de ovos tornaram-se um passatempo nacional. São centenas as variantes. Em Tomar comam "Fatias de Tomar" (tb conhecidas por "Fatias da China"), "Estrelas de Tomar" ou estes sugestivos "Beija-me Depressa". Irresistíveis...

9 comments:

Luísa said...

ok!
Quando lá voltar vou procurar "Beija-me depressa", pois costumo ganhar um beijo apenas quando oferço uma Fatia de Tomar...
Boa sugestão.

Eduardo P.L said...

Muito sugestivo! Irresistivel nome, também!
Jorge, que LAMENTAVEL falha a minha em não ter LEMBRADO do seu post, onde até cheguei a comentar, na ocasião, e só há 8 meses atrás... Certamente a fonte do José Luiz Fernandes foi quem cometeu o grave ERRO em não citar autore das FOTOS e TEXTO!
Nos desculpe! Já tentei REMENDAR lá no Varal!

Li Ferreira Nhan said...

Nossa Jorge!
Comi na casa da minha prima quando fomos a Tomar.
Guardei em algum lugar essa singular embalagem...


Luísa, são deliciosos!
Um beijo

expressodalinha said...

Eduardo: mas não tem qq problema. Até achei piada estar na net, "à mão de semear".

expressodalinha said...

Li: a caixa é uma delícia. Anos 60,talvez.

João Menéres said...

Ia referir-me à embalagem !...
Quantos beijos lá caberão ?
Tenho tantos a receber...

Eduardo P.L said...

Tenha a certeza de que o José Luiz Fernandes não deixaria de citar as fontes, se onde obteve as imagens e texto eles estivessem explicitos. Entrei na WEB a procura "dessa postagem" e não encontrei a SUA, mas centenas delas sobre os MEGALÍTICOS. Outras fotos e outros textos! Que coincidência essa! E ainda bem que entre nós! Obrigado pela compreensão.

Anonymous said...

Mais doce do que este "Beija-me Depressa" só esta doçura de Blog!

E mais não digo.

expressodalinha said...

E 12 beijos por embalagem :))