26.4.12

MENA - O FIM DA CENSURA



Lembro-me de estar na paragem de autocarro a caminho do Liceu de Portimão. Da 1ª aula do dia: Matemática e o professor numa pilha de nervos. Lembro-me que já não tive Francês. Lembro-me dos jardins desertos e de um rapaz solitário caminhar lentamente até ao recreio das meninas. Depois mistura-mo-nos todos, na certeza de que já não era proibido. O meu 1º acto de liberdade talvez tenha sido despir a bata branca. Tinha acabado de fazer 15. Na total anarquia dos 2 anos seguintes quase não fui a uma aula. Mas devorava livros.Todos os que até ali me tinham sido proibidos. Imagine-se que não se podia ler Jorge Amado!!! 
Mais tarde, "Gabriela Cravo e Canela" seria a 1ª telenovela a passar na TV portuguesa. :)


Todos nós sabíamos que havia liberdade, mas não sabíamos bem onde ficava. Naquele dia deram-nos as liberdades todas de uma vez. Tivemos de aprender a ser livres, a saber estar fora da gaiola.

10 comments:

Mena G said...

E de Abril a Setembro não sei, que vivi o Verão. Mas no novo ano lectivo, o Liceu tinha muitas cores.
Repleto de "retornados". Gente igual a mim, perdida da família, que o país era menos importante. E criei amigos que nunca esquecerei. Perto do Liceu havia uma zona meio descampada. Ponto alto da cidade. Um depósito de água, hoje vedado.
Daí, via-se Ferragudo, as ruínas do castelo, a ria...
E a "gente" dizia: bora ver a Liberdade?
Era o sítio "do grupo", onde se faziam confidências e se trocavam histórias de outros lugares.Ouvi realidades que me marcaram para sempre.
Como eu entendo a Fatyly!
Tenho uma foto muito gasta que guardo religiosamente da "Liberdade"...

Li Ferreira Nhan said...

Obrigada Mena!

Fatyly said...

Esta deu-me vontade de rir...e os poemas de Bocage (eu li clandestinamente) e o derrube de tantas coisas tão sem jeito! Já tinha despido as batas pois era mais velha e já trabalhava, mas num calor sufocante de um país tropical andar com batas iguais e exigidas pelo regime...era um sufoco e nem imaginas o que faziamos com elas...o que nos levava várias vezes ao Director, faltas disciplinares e por vezes suspensões:)

Gostei e obrigado

Eduardo P.L said...

Muito boa essa série de depoimentos! Parabéns pela ideia, e aos participantes!

Silvares said...

Depois de ler todos estes depoimentos e os comentários do Jorge, a expressão "25 de Abril sempre" ganha um novo sentido.

byTONHO said...
This comment has been removed by the author.
byTONHO said...



Liberdade,
senti...mentes e cor...ações agindo,
pensamentos soltos e livres!

Brilhantes depoimentos!

BELEZA Jorge!

Abraços a todos!

:o)

expressodalinha said...

Mena: essa descrição dava outro post.

Mena G said...

Fica para o próximo 25 de Abril. Com a foto. :)

expressodalinha said...

OK.