1.4.12

POR ONDE ANDA GRACE SLICK?


Naquele tempo, toda a gente que ouvia rock tinha uma paixoneta por Grace Slick. A voz poderosa e personalizada do estranho grupo Jefferson Airplaine. Estavamos em 1967 (o ano de todas as músicas). O acid rock da West Coast aparecia no som psicadélico dos Gratefull Dead e de Janis Joplin. Em Portugal, a canção "White Rabbit" chegou rapidamente aos meios underground (ouçam em baixo). A mulher era linda. O grupo era fantástico. Os cogumelos eram bons... Grace terá composto a canção em menos de uma hora. Mas, a canção ainda hoje dura. Um hino ao Outro Eu. O Espelho de Alice. A imagem que não se reflecte. Uma vida para lá do espelho. Para dentro do espelho. Hoje, com 72 anos, Grace dedica-se à pintura...

6 comments:

Li Ferreira Nhan said...

Por onde anda Grace Slick?
Anda sorrindo.

myra said...

sim deve estar feliz vida cheia e linda!

Fatyly said...

Não me recordava dela e foi bom avivar a memória. As pinturas são fantásticas e pela sua expressão parece-me que assumindo a sua idade é feliz e anda a fazer o que lhe apetece:)

Silvares said...

White Rabbit ainda rola com toda a força, é bem verdade.

peri s.c. said...

Minha favorita era Somebody to Love que conheci antes da sacudida no cérebro que foi Woodstock ( o filme ), um rito de passagem para nós do lado de cá do Equador e na época distantes de tudo.

expressodalinha said...

Tb era boa. E nós era o Atlântico...