22.6.12

SLOW MOTION

E afinal o que é o Gerês? Umas termas que ainda têm água. Um arroz de sarrabulho navegando na azia sanguinolenta da morcela  devastadora. Imenso verde e algum maduro. Cubas que são lagos de mosto. Trilhos cansativos na esperança do salvífico hotel. Curvas intermináveis em busca do eterno rojão... Não fosse a máquina fotográfica e nada disto teria interesse. Sim, a vida é uma fotografia estampada no FaceBook. Escrever anda difícil. A ortografia é periférica e a gramática esotérica. Somos descendentes analógicos da vida em pixel. Haverá um dia em as petingas são codificadas e o bacalhau em slow motion. Um dia em que as fotos são o resto que falta da nossa vida. 

10 comments:

João Menéres said...

QUE TEXTO !!!
Admirável a forma e a facilidade com que brinca com as palavras !

O "meu" hotel nas termas é o Universal. Desde antes de casar...
Ou a Pousada, se quero irradiar mais para o Concelho de Montalegre e ter o conforto e o charme que lá usufruo.

Anonymous said...

"QUE TEXTO !!!"
Made in Jorge Pinheiro!
Único, sem falsificações, ainda bem!
Continua a escrever.
Mesmo que seja em papel a lápis.


Vou te falar, a cada dia ando mais farta dos pixels, dos blogs, dos facebooks, dos pcs, do virtual, desta porcaria de parafernália toda.
Li

João Menéres said...

E eu estou com problemas para colocar novas imagens!
Algo a ver com a memória do RAM...
Vamos a ver como vou resolver.
Para já, ainda tenho várias à disposição.


Espero que esta informação seja lida por muitos dos meus seguidores e que algum me possa ajudar a ultrapassar mais esta contarariedade.

Anonymous said...

João, não sei nada de Ram, nem de Rom.
Só sei de Rum; e gosto muito!

Como disse estou cheia disto tudo.
Penso seriamente em voltar a escrever cartas, usar mais o telefone e viver a vida real.
;)
Um beijo,
Li

Luísa said...

Este hotel é da minha amiga ANA PAULA (pais e irmãos)...
ehehehehhe! ela é um doce de pessoa!

Quanto ao Minho, tem violências gastronomicas que sabem muito bem à mesa e fazem muito mal ao coração...Tudo se quer com conta, peso e medida.
Bjnhs

João Menéres said...

LUÍSA

Ainda me lembro dele com o seu AZUL de sempre !
Aquele aumento é recente.
Mudou de mãos, foi ?

daga said...

Maravilha de texto, Jorge!!! "Escrever anda difícil.", só se for para os outros, para ti, tudo sai e flui de forma poética :)) porque não são só as palavras, são as ideias, as imagens, as metáforas - "Somos descendentes analógicos da vida em pixel" - LINDO

expressodalinha said...

Foi sem querer.

daga said...

Por ser "sem querer" é que tem valor! é dom :) lá está: flui...
beijo

expressodalinha said...

:))