23.6.12

UCANHA E OS DIREITOS DE PASSAGEM




A Fernanda arisca-se a não passar. Vai-lhe ser pedido tributo para cima de um tomate e não têm multibanco. De um lado estão os maus e do outro os ainda piores. São todos padres. E, como se sabe, os padres só perdoam depois do óbulo completo e em casos raros de extrema unção devidamente testamentada. A Fernanda arrisca-se a ficar debaixo da ponte ou nas celas húmidas da Torre, rezando por mais cabidela. Foi isso que me disse o erudito José Leite de Vasconcelos, nascido ali em Ucanha: era a defesa do couto monástico de Salzedas; a ostentação senhorial, bem patente na alta torre; e a da cobrança fiscal, pelo valor económico que tal representaria para o mosteiro cisterciense erguido próximo. Aqui tens de pagar. E ainda hoje se paga. Paga-se a visão da fronteira das terras do Ordem de Cister. Vai tudo para compotas.

8 comments:

myra said...

belllllloooo!pagar?

expressodalinha said...

NOS TEMPOS MEDIEVAIS, CLARO.

Anonymous said...

Vá lá, consegui passar....fizeram um desconto e o Jorge deu uma ajudinha.....prá próxima é que não perdoarão!!!
Fernanda

expressodalinha said...

Vais para compota :))

João Menéres said...

Espero que tenham visitado as Caves da Murganheira !

daga said...

Lindas fotos!! e ainda bem que já não estamos na Idade Média, senão a Fernanda não passava mesmo ;)

Fatyly said...

Se era para pagar eu não ia...isso é que era doce...e na actualidade que façam compota com tanta fruta que apodrece nas árvores e que ninguém as apanha.

O pior de hoje é que pagamos para outros coutos monásticos...há diferenças?


Belas fotografias

expressodalinha said...

Obrigado.