13.11.12

ABECEDÁRIO DE MYRA - A


Sem “a” não há escrita. As palavras não existem. As consoantes ficam mudas. As vogais ficam surdas. As frases tristes. As  ideias fechadas. “A” com acento pode ser grave. Agudo desliza como água. “H” atrás dá-lhe respiração. “H” à frente admiração. Umas vezes tem exclamação, outras vezes é interrogação. Com til fica “ão”, com “n” pode ser não. “A” porque há e sempre haverá.

 

8 comments:

Li Ferreira Nhan said...

Começou com "A "maiúsculo; de Arte!
E o teu texto impecável!

João Menéres said...
This comment has been removed by the author.
João Menéres said...

Myra Landau, tem logo dois A.
João, tem um..
Jorge Pinheiro, não tem nenhum.

Se Abecedário não começasse por um A, não tinha nenhuma razão para assim ser designado.
Até SOMBRA termina em A !
Como PinturA e FotografiA !

Genial texto este para iniciar uma tarefa que nos vai obrigar a não perder uma só LETRA para admirar de boca aberta a imaginação creativa do Jorge e a arte da sua escrita, enquanto reapriciamos a obra da Pintora e Amiga.

Repito, Jorge, a minha admiração por si não tem limites.
Como será o texto para o B ???

Como não podia deixar de ser, termino este primeiro comentário com um grande Abraaaaaaço !


Nota : Duas palavras que se colaram, obrigaram-me a apagar o anterior comentário.

myra said...

obrigada, querido Jorge!!!!adorei!

Mena G said...

E que começo fantásctico!!!

Eduardo P.L said...

A ideia não poderia ser melhor. Juntar numa biografia Jorge Pinheiro, um escritor de mão cheia, e biógrafo experimentado, com Myra Landau, artista plástica consagrada, com vida e obra importantíssima, que se fundem, se misturam e se completam. Essa série, e certamente livro depois, deverá ser lido e visto com muito interesse e carinho. Sucesso garantido.

Anonymous said...

Um Amigo sem "A", pode tornar-se um inimigo .... mortos o Amor e a Amizade. Vira Ódio, sem "A".

Luis Bento said...

E com este "abecedário" se aprende a escrever...