5.1.13

PORTUGAL


Há um país que todos os dias acorda ensonado. Um país cansado de si mesmo. Um país que não sonha. Um país que se levanta às 6 da manhã. Corre ao infantário a depositar as crianças. Segue engarrafado até ao trabalho. Engole um café na precipitação do horário. Há um país normalizado. Um país de rendimento mínimo e recibo verde que aguarda vez na estatística do centro de saúde. Um país anónimo que adormece esgotado no zapping suburbano do T2 mal isolado. Há um país de consumidores falidos. Um país proletário de licenciados formatados exauridos pelo juro. Há um país deprimido que delega no voto sonhos que não pode viver. Há um país doente, inerte, esmagado. Há um país envergonhado, engelhado e velho. Um país que dorme nos bancos do jardim. Um país com fome que ninguém quer ver.
Há um outro país em "off-shore". Um país de especulação. Um país fiduciário, improdutivo, imoral. Um país de seitas e comissões de vencimento. Um país de subsídios e clientelas. Um país mesquinho de gente hipócrita. Um país que confunde esperteza com riqueza. Um país sem sentimentos, sem impostos. Um país egoísta. Há um país... E nós somos o quê?
 
Post publicado no Expresso da Linha de Fevereiro de 2008. A única diferença é que está pior e pagamos mais impostos.

15 comments:

João Menéres said...

E tudo tinha começado alguns anos antes.
Foi na ESTAÇÃO DAS FARTURAS.
Naquele cubículo, onde pela segunda vez marcámos uma cruzinha para a sua reeleição. Durante anos, deixamos que nos colocassem a venda nos olhos. Obras em grande ! Auto estradas paralelas. Mais as SCUT ! Éramos uns ricos sem dinheiro. Qual é a diferença ?
- Agora, somos uns pobres vergados com o peso das dívidas...

myra said...

Jorge, a merda era e continua, mas nao e somente Portugal que tem este PRIVILEGIO!! quasi todos...estao na merda....
infelizmente e quem sabe qdo vai acabar....
isto tudo e mais me deixam ainda mais deprimida de que costumo estar...ultimamente, isto e desde que estou aqui, outra merda...

João Menéres said...

Quando há diarreia, é BOM SINAL !
Limpa-se tudo, por dentro...

daga said...

texto de um visionário :) de alguém que já em 2008 via claramente o abismo que separa o "país doente", "velho", "com fome" do país que vive em "off-shore"... e o pior ainda é "que ninguém quer ver"! É por isso que esta "merda" não muda!!!

João Menéres said...

Então, Jorge, não há novidades do seu Picasa ?

Eu daria em doido !

Paulo said...

Não há países, há pessoas. Umas estão velhas, cansadas e fartas, outras nem por isso (felizmente!). Umas são espertalhonas e não resistem a enganar o outro, outras deixam-se enganar; todos estão de passagem, todos, melhor ou pior, contribuem para a preservação da espécie. Egocêntricos como somos, pensamos que o que sentimos individualmente é a realidade colectiva e quando somos velhos (cheios de falsa sabedoria) só sabemos fazer prognósticos pessimistas e apocalípticos. No fundo, desejamos que depois de nos irmos venha o dilúvio e acabe com esta m...

Paulo said...

Em suma: somos piegas e "coitadinhos".

expressodalinha said...

Paulo: Pareces o Passos Coelho a falar.

expressodalinha said...

João: ainda não consegui. Estou a servir-me de um atalho, mas não consigo aceder ao arquivo geral!!!

Paulo said...

Jorge: Lamento que seja tudo o que tens a dizer relativamente ao meu comentário. E sim, nesse aspecto estou de acordo com o homem: Já chega de pieguice e auto comiseração.

Paulo said...

...muito antes do Passos Coelho nascer já eu tinha sido educado nesse princípio, pelo meu pai.

expressodalinha said...

Devemos estar a falar de coisas diferentes. A situação não tem nada a ver com iniciativa privada ou personalismos. Tem a ver com um modelo de organização social e colectiva. O modelo de capitalismo baseado nos derivados financeiro imaginários e na construção corrupta de desnessidades a crédito é que deu nisto. Um modelo que vai ter de ser alterado. mas isso já nós sabemos. A questão é como. Pessoalmente acho que há pessoas que gostam de estar sempre a dizer o contrário do que os outros pensam, apenas pelo prazer de contrariar. é uma defesa.

Paulo said...

Tens razão, o importante é o "como", É nisso que temos que investir a nossa criatividade. Para dizer o que é evidente já temos escribas, comentadores e ex políticos que cheguem.
É verdade, nunca gostei de unanimidades, pode ser uma defesa mas é muito incómodo.

expressodalinha said...

:))

vandafliess said...

Li o texto e li os comentários que o seguiram. Alguém acima mencionou que não é só Portugal que vai mal das pernas mas são tantos outros países que estão na merda também! Sim, há um ponto no que ela diz. Enquanto lia o texto, houve trechos que me remeteram à lembrança da minha própria pátria, como se estivessem a falar dela. Ainda que venha a doer a uns e outros, sim, é preciso falar das nossas mazelas sociais.