25.4.13

COMPLEXOS DE ESQUERDA

Uma coisa é a revolução do 25 de Abril, outra é democracia e outra coisa, ainda, é orientação económica. Sempre me fez confusão a identificação de democracia com esquerda ou com orientação estatizante da economia. É certo que há razões históricas para a revolução do 25 de Abril estar a associado à esquerda. Mas a revolução foi "apenas" o momento do derrube de um regime. Trinta e nove anos depois é com profunda perplexidade que vejo continuar a associar-se "democratas" com esquerda.  As pessoas acham vergonhoso e retrógado ser de direita. As pessoas defendem novamente nacionalizações e estatização económica, sem se lembrarem que estivémos às portas de ser uma Coreia do Norte, sem bomba. Defender a democracia não é previlégio de ninguém. É um valor universal. Outra coisa são as orientações ideológicas que se propõe ao eleitorado e que se votam nas eleições. Isso é democracia. O resto são complexos de esquerda.

11 comments:

João Menéres said...

NADA COMO COLOCAR OS PONTOS NOS Is, COMO O JORGE SABE COLOCAR !

Um abraço ( também por isso ).

Eduardo P.L. said...

Bem colocado. Há esse complexo, e outro dos de esquerda contra quem não comunga com seus ideais. Não ser de esquerda não quer dizer direita, no sentito nazista, ditatorial, franquista. Democracia pré supõe convívio harmonico das diferenças republicanas.

daga said...

excelente texto, Jorge, vinte pontos para a última frase!!!
beijo

Mena G said...

Ora bem! Curto e incisivo.

Fatyly said...

Para mim o 25 de Abril de 1974 foi o derrube de um ditadura e a liberdade adquirida depois de muito oprimidos, fome, desigualdades estonteantes em trabalhados de sol a sol, fome e miséria e sem apoios sociais que dessem mais dignidade a um povo trabalhador.

Até hoje nunca fui de nenhum partido e afinal sou de todos porque em todos há gente competente e de bem como há o inverso.

Melhoramos muito, crescemos muito, tivemos o FMI por duas vezes mas tivemos o escudo que nos salvou. Mário Soares e Cavaco Silva, já para não falar de outros, para mim foram os piores 1ºs.ministros e já nem digo nada como presidentes.

Saltando outras nódoas PSD e do PS.

Nesta encruzilhada toda, fomos a votos para derrubar Sócrates e jamais eleger Pedro Passos Coelho, mas foi eleito pelo povo o que eu respeito.

Mas não elegemos nem a coligação nem as respectivas equipes, como não tivemos nas outras e inseridos numa UE e com a globalização e crise...toma lá chumbo e o cenário que temos de uma direita "sem adjectivo".

Durante estes 39 anos perderam-se "valores morais" sobretudo por parte de quem sempre nos governou e ou gere dinheiros públicos, e amigos dos amigos.

Como não gostas de comentários longos acabo dizendo que não quero que este governo saia, que continue...mas que de uma vez por todas olhe para o povo, que deixem a subserviência da Merkel (que a meu ver não é tão má como dizem pois zela por quem a elegeu) porque também eu fico bem lixada em ter de pagar dívidas que nunca fiz mas que teimosamente dizem que andei a gastar mais do que ganhava.... mas com origens que todos sabemos.

Trabalhei quase 40 anos, sempre paguei os meus impostos...e porque me cortam a mim quase tudo...e não a quem continua a ser "eleito para sucessivos governos num compadrio partidário"!

Democraticamente digo-te...até amanhã e oxalá que amanhã não "descubram mais um buraco financeiro onde o diabo perdeu as botas"!

Fatyly said...

Bom dia Jorge e comentadores

e para que se veja um infima parte dos pequenos/grandes interesses instalados PAGOS POR TODOS NÓS, partilho o que diz este comentador, que para mim é o nº. 1 de todos que existem:

25-03-2013 - Sistema montado para dar lucro ao setor financeiro - José Gomes Ferreira

http://youtu.be/go0DPd5N-Wk

é esta inversão de valores de Abril contra os quais luto porque discordo!

expressodalinha said...

Estava aqui em causa a apropriação do conceito de democracia pelos abrilistas de esquerda. Como é evidente, a prossecução da actual política deixa muito a desejar. Mas isso, é "outro" tema. Basicamente falta gente capaz e séria. E aí meto a esquerda e a direita.

Silvares said...

Jorge, concordo com o que dizes. Eu próprio sou um esquerdista inveterado mas reconheço a grandeza de espírito e a profundidade de pensamento de um homem com Adriano Moreira (só para dar um exemplo)que até foi ministro de Salazar.
São pessoas como ele que me fazem acreditar na Democracia. O radicalismo político é expressão de uma certa infantilidade, seja de esquerda ou de direita.
Já agora, para terminar, sempre te faço notar que falar da Coreia do Norte para ilustrar o pensamento de esquerda equivale a citar a Alemanha nazi para ilustrar o pensamento de direita.

vieira calado said...

Apetece-me dizer que os complexos de direita, ou esquerda... são quase sempre muito... complexos...
Um forte abraço!

Anonymous said...

"No meio está a Virtude".
"Os opostos atraem-se". Acrescentaria eu, que nada sei, que até muitas coisas têm em comum - a E a D - e que se identificam perfeitamente. E, como nada sei, só pergunto: isso de E e D não está fora de moda? O Mundo mudou. Tanto a E como a D já não fazem parte dele. Há apenas resquícios ... Não se mexa na M, que não é o EME de Myra, claro está.
Bo noute.

expressodalinha said...

:))