31.5.13

CHAVES - V

Foi então por volta de 1160 que Chaves integra o país, que já era Portugal, com a participação dos lendários Ruy Lopes e Garcia Lopes, tão intimamente ligados à história da terra.
Pela sua situação fronteiriça, Chaves era vulnerável ao ataque de invasores e como medida de protecção D. Dinis (1279-1325), mandou levantar o castelo e as muralhas que ainda hoje dominam grande parte da cidade e a sua periferia.
A 8 de julho de 1912 travou-se um combate entre as forças monárquicas de Paiva Couceiro e as do governo republicano, chefiadas pelo coronel Ribeiro de Carvalho, de que resultou o fim da 2ª incursão monárquica. Os intervenientes republicanos desse combate foram homenageados na toponímia de Lisboa, com a designação de uma avenida, a Avenida Defensores de Chaves, entre a Avenida Casal Ribeiro e o Campo Pequeno. A 12 de Março de 1929 Chaves foi elevada à categoria de cidade.

3 comments:

Eduardo P.L. said...

Não se fazia outra coisa do que invadir e ser invadidos. Não havia monotonia.

João Menéres said...

Como agora não há monotonia !
São impostos em cima de impostos !
Que é isso que não uma INVASÃO ?

Paulo said...

Tanta vez que fui à Defensores de Chaves e nunca me passou pela cabeça que tivesse ver com Chaves-cidade. Aprende-se muito neste blog
Abraço