6.11.14

APELO PARA ACABAR COM A GESTÃO PROFISSIONAL

Durante anos trabalhei em empresas de Telecomunicações.Os gestores eram nomeados pelas razões mais diversas. Muitos deles por razões meramente políticas, outros por terem um conhecimento técnico que dava jeito à gestão, outros ainda só para fazer número, ou por amizades de conveniência. Muitos destes gestores eram vagamente broncos. Outros estavam lá apenas para agarrar a pensão de administrador. Eram raros os bons gestores. A maioria não fazia nada a não ser a escolha do carro de serviço e gastos avultados no cartão de crédito para despesas de representação. Havia alguns que metiam algum dinheirito ao bolso, discretamente e sem alarde. Nada que prejudicasse a empresa. Estas empresas deram sempre lucro, pagaram impostos e dividendos ao Estado, desenvolveram-se tecnologicamente e são ainda centros de competência mundial. Tenho hoje saudades desses gestores vagamente broncos, sem grandes conhecimentos de gestão e poucos conhecimentos internacionais. Quase saloios que vestiam casacos às ricas com camisas aos quadrados. Hoje a gestão está de tal forma "avançada" que não se gerem os negócios das empresas, mas o cash-flow, swaps, sale and lease back, aplicações..., truques e mais truques que os gestores broncos não conheciam e jamais seriam capazes de utilizar. Com eles a PT nunca iria à falência pura e simplesmente porque não sabiam como fazer. É urgente acabar com o ensino em gestão. Urgente demitir todos os gestores profissionais. Mais tarde ou mais cedo irão todos presos, mas antes ainda acabamos arruinados.

5 comments:

Eduardo P.L. said...

Gostei muito e já comentei lá no FB

Silvares said...

Quanto a irem presos tenho as minhas dúvidas...

João Menéres said...

Quanto a ficar arruinado ( eu e todos os portugas que trabalharam ) já não tenho grandes dúvidas !

daga said...

é urgente não ficares calado!! continua a analisar a realidade de forma crítica e muito pertinente.

Fatyly said...

A descrição de uma dura realidade, mas presos? pelo contrário serão todos condecorados e nós tramados!

Não desistas de escrever!