19.12.14

SERRA D'OSSA - V



São Paulo "o Eremita" tinha 17 anos quando achou que se devia calar para sempre. Passavam uns 300 anos depois de Cristo. Nunca mais falou. Isolou-se no deserto, ou seja, num espaço sem shoppings nem lojas de chineses. Ficou debaixo da tamareira. Comia tâmaras e vestia-se folhas verdes que lhe cobriam as partes mais obscuras e lhe faziam uma azia divina, aquela que só passa com Omeoprazol concentrado.
 

Paulo tinha já 110 anos sem falar quando apareceu um "chato do deserto". Santo Antão achava que ninguém conseguia ficar calado tanto tempo. Achava que ele, Antão, era o mais mudo de todos no reino do silêncio. Seguindo a mensagem divina encontrou a tamareira e tanto chateou Paulo que o fez falar. Paulo morreu exausto à segunda frase. Hoje tem conventos na Calçada do Combro e na Arrábida. Hoje a vida é um barulho de avenida e todos queremos a ausência de ruído sem conseguir estar calados. Será este o primeiro ecologista?  

4 comments:

João Menéres said...

Pelo menos, merece !

Eduardo P.L. said...

Se é o primeiro ecochato não sei, mas um santo mudo e inativo é um ser completamente inútil.

Jorge Pinheiro said...

Mas deu belos mosaicos.

daga said...

se ele escolheu ficar mudo, é porque já não tinha nada a dizer e por isso deviam ter deixado a criatura em paz!! Mas os azulejos são lindos sim :)