3.4.12

NÃO ESTAMOS SÓS

Tal como na vida real, é legítimo perguntar porque somos estes e não outros. Porque nos juntámos? Porque nos conhecemos? Porque, na imensidão da blogoesfera, criámos este núcleo de intimidade e não outro? Há um mistério no relacionamento que jamais saberemos explicar. Para mim, o acaso representa um factor primordial. As amizades não se escolhem por catálogo. Acontecem. Depois, ficam, mantêm-se, consolidam-se... ou desfazem-se, vá-se lá saber porquê. Não deixa de ser curioso que a representação que fazemos das pessoas, nem sempre corresponde ao que elas são na vida real. E isso, em termos virtuais, nunca poderemos saber com precisão. Há, por isso, amizades virtuais que não resistiriam ao quotidiano de um relacionamento intenso e amizades reais que não têm correspondência virtual sustentada. Estamos a criar novas formas de relacionamento. Com as suas especificidades e as suas limitações. Os seus mistérios e as suas certezas. E, como sempre na vida, é bom saber que está alguém desse lado.

20 comments:

Selena Sartorelo said...

Olá Jorge,

Você possui a peculiar qualidade de responder as perguntas da maneira mais eloquente que senti. Sempre o algo mais que faz pensar. A idade é uma coisa curiosa e fantástica...porque pensei nisso antes mas só entendo agora...

Beijos

Fatyly said...

Já escrevi isto há muitos e muitos anos e sei que já prolifera na internet, porque quer na vida real, quer aqui:

"No mar da vida há ondas fortes... (que eu chamo de momentos) não devemos afundar, porque quando elas passam, tudo se ilumina, tudo se transforma!
Os amigos vão e vêm como as ondas do mar e os que perduram no tempo são as conchas que ficam no areal!

(Fatyly - 2003)

Sinceramente aqui na internet não sou das que vão aos blogues dos outros à espera que venham ao meu, e mantenho-me fiel se continuar a gostar e deixo sempre um comentário para que saibam que foram lidos, excepto se houver alguma implicância que me faça afastar e saio conforme entrei, de cabeça erguida.
Não trato ninguém por "você" e antes de começar a comentar...leio de fio a pavio...e já acompanho alguns há anos e anos e criou-se empatia, amizade...

Gostava de ser sucinta como tu e gostei imenso do que li, portanto...PRESENTE!!!!

João Menéres said...

Vou ser breve ( serei ? ) :

TODAS as amizades virtuais se CONSOLIDARAM quando conheci as pessoas REAIS !
Não sei se o mesmo se passou com todas as que me conheceram pessoalmente.
De 90% TENHO A CERTEZA QUE SIM !

"Alguém",debaixo de uma oliveira nos arredores de
Beja. disse-me QUE MUITOS BLOGUEIROS RECUSAM DAR-SE A CONHECER NA VIDA REAL.
Seguramente, NÃO É O MEU CASO !

Abraços /Beijos para uns e outros.
Boa Páscoa para TODOS !

NOTA : JORGE, o simbolismo dos óculos está perfeito ! GENIAL, mesmo !!!

Claire said...

iiiiiHá amigos que ficam a marinar!
Parabéns pelos 5

daga said...

estarei sempre deste lado e do outro e do outro... daquele que precisares :)
beijo, meu amigo real e virtual ;)

Fatyly said...

Imperdoável: a foto está excelente:)

Luísa said...

Beijinhos amigos, num trajeto que se cruzou e sorriu: o trajeto das letras, entre um olhar de perto e uma linha expresso de conhecimento!
Gosto do que escreve e da forma que o faz.Gosto do que mostra e apresenta...sente-se dedicação!
Grata pela atenção que dá a esta catraia aprendiz da vida!
Um bem haja!

João Menéres said...

A simplicidade à flor da pele da LUÍSA !
Vale a pena ser AMIGO desta SENHORA !

Um beijo, LUÍSA ( ainda não tens o problema resolvido no teu olhar ?).

Fatima Cristina said...

Jorge,
Você disse tudo:
Amizade nao se escolhe em catálogo, acontece!

Texto que vale a pena ler e refletir.

Beijos e parabéns pelo "Lustro"!

Eduardo P.L said...

Jorge,

lindo tema e muito bem apresentado. Não vamos falar do nosso "caso" em especial, mas caberia uma série de posts tratando do assunto: Como conheci meu amigo virtual. O que achava do amigo virtual, e o que encontrei no indivíduo real. Qual é o elo mais forte dessa corrente que nos une. E coisas do gênero. Fica a proposta! Eu pessoalmente tenho alguns "casos" para narrar! Muita gente deve ter outros.

João Menéres said...

EDUARDO

Uma autêntica usina de IDÉIAS !!!

Um abraço.

Eduardo P.L said...

João e Jorge,

uma nova série com um DESAFIANTE e um DESAFIADO, e os dois contam em separado suas impressões mútuas, quando eram só conhecidos virtuais. E depois de se conhecerem no mundo real, qual das impressões perdurou, ou o que descobriram de novo, em seus amigos reais! Por exemplo: DESAFIO o JORGE a nos narrar : como, quando e porque me conheceu virtualmente? Que ideia fazia de mim? E como, quando, e por que nos conhecemos na realidade, e quais das impressões se confirmaram, e que juizo faz hoje passados alguns anos. Faço o mesmo da minha parte. Em dia certo, há combinar, postamos os dois depoimentos nos respectivos blogs!
Que acha da idéia?

João Menéres said...

EDUARDO

Como a L.REIS está fora e eu vou hoje para fora, quando ela e eu regressarmos, vou propor-lhe essa idéia.
Como também é madrinha do GRIFO PLANANTE, justifica-se, penso eu.



Um abraço.

Silvares said...

A César o que é de César...

expressodalinha said...

Obrigado a todos pelos comentários e votos.

Anonymous said...

Jorge, como sempre vai ao ponto e vai fundo!
Ainda bem que as amizades não são escolhidas por catálogo e nem são como a família que vem junto ao pacote da nossa história de vida.
As amizades não virtuais só se consolidam por vários motivos; afinidade, cumplicidade, afeto, ou tb por motivos até menos nobres(infelismente tb é um fato).
No virtual procuramos, as escuras, nossos parceiros. E por afinidade, carinho, respeito a seleção tb é feita.
E tb por motivos até menos nobres ela acontece (infelismente).
A Ju, lá no Varal do Edu fez um comentário que veio de encontro há muitas coisas que penso:
"O que é uma amizade real!!!
do que ela se compõe...
quais as vertentes dessa sintonia?
dos encontros e desencontros que se fazem do real ao virtual sempre há um estado de emergência que nos habita, e desta forma procuramos os pares.
Vamos construindo uma rede."

A REDE...
"Caiu na "rede" é peixe!"
Peixe se locomove na "água".
"A internet é como água: vai achar o seu caminho (...)"
Qual caminho?
O caminho que nos leva ao afeto tão necessário a humanidade que habita em nós?
Tomara!
Ou o caminho dos espertos, oportunistas, os tais Big Brother virtuais?

Pessoalmente estou cada dia mais assética (ou asséptica) nas relações
reais e virtuais.
E deixo muito claro a minha assepsia!

Obrigada!
um beijo
Li

(em tempo, a foto tá linda)

Anonymous said...

sorry!
"infelizmente"

(Caramba, postar como anônima e não usar o meu mac tem sido uma maratona!)
;)
Li

expressodalinha said...

Li: Mas os Mac estão sempre avariados?! Um depoimento excelente. Anadamos nisto às escuras... ou talvez não. O acaso é fantástico.

Anonymous said...

O mac não esta avariado Jorge.
Por hora estou sem o meu...
;)
Li

expressodalinha said...

Pois... têm pernas :))