7.1.13

CANTOS E RECANTOS DE MACAU



Depois da chegada de Jorge Álvares em 1513, diz-se que foi o contributo português para vencer o terrível pirata Chang-Tse-Lao que terá sido decisivo para o estabelecimento comercial de Portugal em Macau. O porto de A-Má, (em cantonês A-Ma Gao, nome da deusa), em breve seria Amacao, Macao e, finalmente, Macau. Durante quatrocentos, Macau foi o baluarte português no longínquo oriente.
Em 1580, com a subida de Filipe II de Espanha ao trono de Portugal, Macau ficou numa situação delicada. As autoridades chinesas tinham cedido Macau à coroa portuguesa e não à espanhola. Temia-se que esse equilíbrio precário fosse alterado, tendo por pretexto a dominação espanhola. Talvez por isso, a bandeira portuguesa continuou a ser içada diariamente durante todo o período da ocupação filipina. Curiosamente foi nesse período que a administração do território se estabeleceu. Foi durante a ocupação espanhola que Macau conheceu a sua primeira “idade de ouro”.
Depois da Restauração, em 1654, D. João IV manda colocar no Senado da cidade o título de “Não Há Outra Mais Leal”. Macau passa a ostentar o orgulhoso título de “Cidade do Sto Nome de Deus de Macau. Não Há Outra Mais Leal”. Ironicamente, foi a partir do século XVII que começou o declínio comercial de Portugal em Macau. A feroz concorrência holandesa e inglesa. A perseguição dos católicos no Japão. O fim do monopólio português no comércio com a China. Em 1884, o estabelecimento dos ingleses na ilha Vitória, fundando Hong-Kong, relega definitivamente Macau para uma posição secundária. É preciso esperar pela II Guerra Mundial para se ouvir falar de novo em Macau. Foi durante a II Guerra Mundial que se fizeram as grandes fortunas no território. A partir de 1944, Macau transforma-se num dos principais centros mundiais de comércio de ouro e depois do incidente das Portas do Cerco, em 1952, Macau acabou por ver reforçado o seu papel na entrada de bens estratégicos para a China comunista. Macau será sempre um entreposto entre a neutralidade e a guerra, entre o vício e a virtude. Uma arte portuguesa que faz parte do património macaense.
Hoje descobrir esse Macau antigo não é fácil. Onde era a Praia Grande é hoje um aterro, com vias circundantes e os lagos Sai Wan. O Hotel Estoril está abandonado. O Cinema Apolo transformou-se numa boutique de moda e o Nam Van desapareceu para dar lugar a um prédio incaracterístico. As ilhas desertas da Taipa e Coloane são agora casinos flutuantes, ligadas por um enorme aterro, o “Cotai Strip”. Os prédios cresceram. Multiplicaram-se. Dominam o horizonte. Reconhecer esse Macau de outrora é uma tarefa quase arqueológica.
Hoje, mais do que um sítio, Macau é um conceito. Um conceito que vive na diáspora de si própria. Que se desvenda nos recantos das vielas tortuosas da cidade antiga. Que se perde na vertigem das ladeiras íngremes que sobem a nossa memória. Que desliza na nostalgia dos riquexós que povoam a nossa imaginação. Que perdura nas alamedas de sombra das árvores de S. José. Macau exibe-se com pudor. No recato de quem a vive. Na discrição de quem a habita. Na saudade de quem a sente. Um oriente que esconde a sua pérola mais preciosa.

Texto que escrevi para introdução ao capítulo "Cantos e Recantos de Macau" das "Crónicas Maquistas". Livro a editar pelo meu amigo Luís Machado, em Macau.
.

5 comments:

João Menéres said...

Não me canso de ler o que escreve sobre Macau ( para me restringir aos últimos posts, claro ).
Hoje destaco do seu texto " Que se perde na vertigem das ladeiras íngremes que sobem a nossa memória. Que desliza na nostalgia dos riquexós que povoam a nossa imaginação. "

A Ilha de Coloane não é tão deserta assim...

Anonymous said...

The main women's outer attire - worn over the soft linen chiton - was the Doric peplos, made of a rather heavy woolen rectangle. Half the length of the wearer's height and 180 cm wide, the peplos was folded vertically and then wrapped around the body and fastened by pins or fibulae at the shoulders. Excess material was folded at the top, forming a flap at the back that resembled an abbreviated cape.. Lay one sleeve of saltines on a cookie sheet. Melt 3/4 cup butter and 1c brown sugar over low heat. Pour mixture over saltines. My Dad's 2nd oldest bro (Dad is oldest), Robert (another lovely bloke, he was always the very cool uncle who let you go on the scary fun fair rides when Mum wasn't looking, and he always knew the answers to all of the 'what, why, where' questions that kids ask non-stop). Front, left to right: 9. My Sister Wendy (gentle, witty, culture vulture, devourer of books); 10.
[url=http://sportsrantz.com/mulberryoutletshopv/]Mulberry Outlet[/url]
Cooking Procedure. If you would like to save some time and energy, you may want to use a pressure cooker to tenderize your vegetables. However, you may also use an open vessel to do the job, if you prefer.
[url=http://mulberryhandbagsgo.zoints.com/blog]Mulberry Handbags[/url]
xsscm [url=http://mulberryoutletshop.zoints.com/blog]Mulberry Handbags Sale[/url]
Catch a live show at the CMAC (Constellation Brands Marvin Sands Performing Arts Center), try to win big at Finger Lakes Casino, or test a local varietal at Casa Larga Vineyards. Shop 'til you drop at Eastview Mall, just one mile away, and the Waterloo Premium Outlets, or visit the Hill Cumorah Women of Faith Conference. This Finger Lakes area hotel is also surrounded by scenic outdoor recreation opportunities, from skiing at Bristol Mountain Ski Resort to golfing at one of several nearby courses such as Locust Hill Country Club and Ravenwood Golf Club. It is inadvisable to have anything, such as a picture or bookshelf, hanging on the wall above the head of your bed. To encourage good sleep, the area around where your head will lie should be kept completely uncluttered. If you live in a studio apartment, where sleeping and living space are combined, make the area immediately surrounding the bed a special space, free from objects that serve the other uses of the room..

Eduardo P.L said...

Como sempre um texto primoroso. Sucesso é o que desejo para o Luís Machado.

expressodalinha said...

Obrigado João e Eduardo.

myra said...

nao me canso de ler e ver sobre Macau!!!!!