14.12.13

FREE TO STAY - O LANÇAMENTO

Os livros chegam. Chegam excitados. Desejam o lançamento. Anseiam a oportunidade. Finalmente ficarão livres. Vão ser lidos. Folheados. Manuseados. Ambicionam prateleiras confortáveis. Conviver com  gente célebre. Talvez Camões, Lobo Antunes, o próprio Saramago... Foi um ano de espera. De revisões e correcções. Gente chata sempre a meter vírgulas e pontos. A alterar frases, a meter capítulos, a enxertar parágrafos. Agora acabou. Nunca mais serão violados. Existem independentemente do autor. São por si mesmos. Valem por si próprios.
Abrem-se portas que dão para claustros. Claustros que dão para corredores. Corredores que dão para salas. Infinitas geometrias na quadratura do círculo. O Instituto de Odivelas tem o alto patrocínio de el-rei D. Dinis e a presença simbólica da sedutora Rainha Santinha, essa que transformava a matéria no quer que fosse e que fez das rosas um mistério hermenêutico.
São claustros de abóbadas manuelinas, nos azulejos renascentistas de azul revestidos. Os livros ainda agora chegaram e já sentem o peso da história. Uma história que não é deles. As páginas estavam brancas antes de alguém as escrever. Os livros não têm culpa. Não sentem responsabilidade. Falam porque os mandaram falar.

As meninas de Odivelas estão por todo o lado. Andam em formatura, fazem paradas, param formadas. Uma estranha sensação de colégio interno que nos inibe de pensamentos acrílicos e degustações impressionistas.

Algumas meninas estão um pouco passadas demais. Mesmo assim conservam dignidade e continuam com ambição de chegar a uma licenciatura, mesmo que seja por influência do Altíssimo.
Finalmente o autor é chamado à responsabilidade. O frio era intenso. Não deu para tirar o sobretudo. Mesmo assim consegui dizer umas frases moderadamente compreensíveis e sintomaticamente verdadeiras.
É preciso coragem para entregar nas mãos de um escritor as confidências mais íntimas e esperar que ele saiba dar-lhes boa sequência. Quero, por isso, agradecer à Joaquina e ao Douglas a confiança em mim depositada e esperar que, através da narrativa, os leitores possam vivenciar a complexidade das personagens que estão para lá das letras e acreditar que a vida vale sempre a pena.

Da esquerda para a direita: Douglas Phillimore e Joaquina Cadete Phillimore (os biografados); o director do Instituto de Odivelas; Maria do Céu Roldão (que fez a apresentação do livro); e eu.

15 comments:

João Menéres said...

Estive quase todo o dia fora de casa, Jorge.
Justificação : Fazer mais uns cliques ( é preciso aproveitara maré do desejo ! )Quando oublicarei o 1º dos que hoje fiz ?
Sei lá..

Mas vamos ao que verdadeiramente interessa :
O LANÇAMENTO DO FREE STAY !

Começo por elogiar o local escolhido, pois tem um ambiente fantástico !
Achei imensa graça ao seu pensamentos acrílicos e degustações impressionistas.
Está ver a vantagem de não ser o autor ?
É que não sinto nada inibido !

Tanta legenda e não diz quem está na mesa !
Francamente, Jorge !
Espero que dê a mão à palmatória...
Quanto aos livros : ainda tenho um espaço confortável para um exemplar...

Um grande abraço e felicitações por ter levado a cabo mais uma empreitada sem ter o custo ultrapassado !

Jorge Pinheiro said...

João: lapso corrigido. Obrigado pelas palavras.

Li Ferreira Nhan said...


Fantástico o lançamento do teu livro que já agora é do mundo!
Que lugar maravilhoso, mágico, repleto de histórias! E asas a imaginação.
Que a Rainha Santa multiplique em sucesso e reconhecimento o teu excelente trabalho!
Parabéns Jorge!


[a história desse casal de reis sempre me acompanhou; foi a mais contada na minha infância. Mais até do que qualquer fada, anões, lobos, bruxas ou meninas brancas como a neve :) ]

Anonymous said...

Como já aqui disse um amigo, tivemos muita sorte em ter o Jorge Pinheiro a escrever a nossa história que vai para além dela mesma. Uma pesquisa profunda, uma abordagem personalizada fazem deste livro para filhos e netos se não um best seller, um best reader sem dúvida.
Alguém interessado poderá contactar o Jorge nesse sentido.
Aqui fica o nosso apreço público e o nosso agradecimento pelo excelente trabalho do Autor.
Joaquina e Douglas Phillimore

Helena Oneto said...

Parabéns Jorge! por mais uma boa surpresa! Um livro por ano é obra!
Estas lançado!

Este "Free to stay" no convento promete!
Grande abraço

João Menéres said...
This comment has been removed by the author.
João Menéres said...

ORGE

Não tem nada que agradecer, bem sabe.
O meu comentário está cheio de gralhas dactilográficas ( marca da casa ! ):
São letras que faltam ( mas foram batidas, asseguro ), são palavras coladas e omissão das omissões, palavras que tinha na cabeça como já escritas e que ficaram do lado de cá...

Ao casal PHILLIMORE os meus parabéns por terem ido bater à porta certa. Ainda por cima, um AMIGO que muito estimo !...

Jorge Pinheiro said...

Joaquina e Douglas
Foi mesmo uma aventura e enorme prazer. Fico muito contente por terem gostado e pelo comentário do amigo. Um escritor adora feed-back.
Um abraço para s dois.

Eduardo P.L. said...

Lançamento em grande estilo. Parabéns aos biografados, e ao autor. Sorte dos leitores. Certamente mais um bom livro.

m.a. said...

Então e Fernandinha não me informou do evento?!!!
Certa do exito, beijo os dois

mitó

daga said...

estão muito bem nas fotos,fico feliz pelos biografados gostarem tanto do livro, adorei tudo!!
beijinho

Fatyly said...

Parabéns a todos e a ti em dobro por seres mestre da escrita e fotografia.

Jorge Pinheiro said...

Obrigado a todos.

Mena G said...

Comento pouco mas sigo-te , hem?
Parabéns Jorge. Não tenho a mínima dúvida que é um bom livro.Basta lembrar-me do 1º que "te "li para sabê-lo.

myra said...

estou super orgulhosa de ter voce como Amigo! vai ser um sucesso! Prabens e maisParabbens!!! e como sempre voce alinhado, e mais nao sei que dizer! somente que te admiro!