4.1.14

OPERAÇÃO CAÇÃO - XXX



Valdemar embarcou no aeroporto de Guarulhos, São Paulo. Viajava num avião da Air China, com escala em Frankfurt e Pequim. Chegaria a Macau quarenta e seis horas depois. Saiu a uma 3ª feira, chegaria na 5ª feira. Embarcou sozinho e apenas com uma pequena mala de mão. Combinara um encontro com Tsé-Lao, o homem que lhe fornecia os explosivos. Era importante esclarecer os equívocos que se geraram após a execução de Octávio. Era fundamental reganhar-lhe a confiança e reatar o contrato. Valdemar sentou-se num discreto lugar em classe económica. Não reparou que, quatro filas atrás, uma mulher de porte atlético e olhar penetrante não o perdia de vista. Moema decidira seguir Valdemar. Algo lhe dizia que aquele homem estava envolvido em negócios ilegais, muito ilegais. Seguiu o seu instinto.
(Continua)

3 comments:

daga said...

o instinto de mulher não falha... e então "de porte atlético e olhar penetrante" - o Valdemar está feito!!

Jorge Pinheiro said...

Também acho. Aliás, os homens, por definição, estão sempre feitos.

Eduardo P.L. said...

Concordo com Daga. As mulheres nunca falham.