20.8.12

SARDOAL III




Na Igreja Matriz, merecem a atenção o Altar-Mor e os painéis cerâmicos, da autoria de Gabriel D’El Barco, datados de 1701. Não vimos porque estava absoluta e totalmente fechado, sem sequer horários à vista. Uma forma interessante de incentivar o turismo. Vamos lá todos os dias até que esteja aberto. Já agora, atentem nesta rosácea flamejante e nos capitéis manuelinos. Para completar a visita pode-se ainda visitar o Convento de Santa Maria da Caridade que, diga-se de passagem, também estava fechado, mas  foi ampliado e reedificado em 1676, por iniciativa de D. Gaspar Barata de Mendonça, o primeiro Arcebispo da Baía e Primaz do Brasil. Uma curiosidade importante, porque este arcebispo nunca sequer foi ao Brasil. Devia ser por video-conferência. Ainda havemos de descobrir qualquer coisa que bata certo no Sardoal.

6 comments:

Li Ferreira Nhan said...

Acho que tudo aqui veio para confundir e não para esclarecer...

Li Ferreira Nhan said...

Mas gostei da igreja branquinha!
Gosto de fotos igrejas, assim, de frente...
:)

Dona Sra. Urtigão said...

curti

Silvares said...

A velha táctica portuga: a beleza do interior é conhecida mas... pouco vista.

daga said...

imagens lindas, especialmente as últimas duas!

expressodalinha said...

Rosácea flamejante... que mais dizer?