25.1.13

MACAU - TURISTA OCIDENTAL - XXXIX


E fico eternamente à espera

O autocarro passa. Vejo-a de relance. Aceno desesperado. Desaparece ao virar a esquina. Um sorriso enigmático deixa em mim uma esperança pueril. Só podia ser ela. Ter-me-à visto? Sinto em mim a monção que me invade. Um tsunami que me abala. Um tufão que me destrói. E fico à espera eternamente. Macau.

8 comments:

João Menéres said...

E eu à espera de ter tempo, Jorge...
Bem posso esperar sentado junto a uma porta de emergência ...

Outra espectacular imagem do Roberto !
Valeu bem a pena, por todas as razões, o trabalho que teve, senhor do EXPRESSO DA LINHA !

Um abraço.

expressodalinha said...

É, a história acaba aqui, Só falta o epílogo.

Luísa said...

E ela, passou indiferente!
Decidida a assumir uma nova vida, novos hábitos! Traçou no trajeto do bus um novo rumo...a distãncia!
E eu? eu fiquei com os efeitos dos transtornos da natureza, apanhando os estragos!
O tufão embrulhou-me em transtornos de rutura!



Imagem sugestiva, Jorge!
Bjnhs e votos de um excelente dia!

daga said...

"quem espera sempre alcança", diz o povo! por isso, não desesperes ;)

Eduardo P.L said...

Que pena que esta acabando. Mas é mais um livro, com certeza!

João Menéres said...

Quanta pena estar no fim, Jorge !

Pelo contrário, vou continuar por uns tempitos mais...
Pode ser que alguma o inspire para uma legenda...

Agora, resta-me aguardar pelo EPÍLOGO !

Um abraço.

myra said...

sim e uma pena que acabou...mas vai ter outras muitas! tenho certeza!!!!

Fatyly said...

Que maravilha e palavras para quê? Adorei!